Disputa por bases eleitorais provocou crise das emendas

Barbiere disse que a "invasão" dos evangélicos em seus redutos eleitorais estaria entre os motivos que o levaram a denunciar

AE |

selo

Disputas por redutos eleitorais no interior paulista, acirradas pelo uso de repasses de verba estadual e também federal, estão entre os principais motivos que trouxeram à tona o escândalo das emendas na Assembleia Legislativa de São Paulo. Parlamentares da bancada evangélica em Brasília e do Legislativo paulista, direcionaram mais de R$ 5 milhões para a base eleitoral do deputado estadual Roque Barbiere (PTB). A maior fatia foi para Birigui, onde ele obteve mais de 50% dos votos em 2010, mas foi derrotado na disputa pela prefeitura em 2008.

Leia também: Campos Machado compara Barbiere a Jefferson e José Dirceu

A amigos, Barbiere disse que a "invasão" dos evangélicos em seus redutos eleitorais estaria entre os motivos que o levaram a denunciar o emendoduto. O reforço de verba federal também teria desagradado o deputado.

As emendas analisadas pelo jornal O Estado de S. Paulo foram apresentadas a partir de 2009. Um ano antes, o deputado perdeu a disputa em Birigui para o reeleito Wilson Borini (PMDB), "inimigo" do parlamentar que quer vê-lo "morto", como o próprio Barbiere definiu a um site de Araçatuba, em agosto.

Em 2009, os deputados federais Antonio Bulhões e Roberto Alves, ambos do PRB, propuseram emendas ao Orçamento da União de 2010 de R$ 2 milhões cada para Birigui, ambas liberadas pelo governo. Nenhum deles tem base eleitoral na cidade. Bulhões, ex-apresentador do Fala que Eu Te Escuto, da Rede Record, recebeu 472 de seus 162.667 votos em Birigui. Ele propôs emenda para "apoio a projetos de infraestrutura turística" em Birigui, cidade que recebeu quatro vezes mais verba do Turismo que o Rio de Janeiro.

Ex-metalúrgico no Vale do Paraíba, o pastor Roberto Alves recebeu 2 votos em Birigui em 2006 , quando foi eleito suplente - ele não tentou a reeleição em 2010. O pastor destinou R$ 2 milhões para "ações de infraestrutura urbana" na cidade de Barbiere. Por ironia, Alves chegou à Câmara em 2009 pelo PTB, mesmo partido de Barbiere. Nessa época, já estava no PRB, pelo qual tentou se eleger vereador em Campinas, a 440 km de Birigui.

Assembleia

No Legislativo paulista, os repasses de quatro deputados para o reduto de Barbiere somam R$ 1,3 milhão em emendas apresentadas entre 2009 e 2001. São sete municípios contemplados por Dilmo dos Santos (PV) e Gilmaci Santos (PRB) - dupla que não recebeu um voto em quatro dessas cidades -, além de Adilson Rossi (PSB) e André Soares (DEM).

Entre as emendas de 2010 e 2011 publicadas pelo governo Geraldo Alckmin (PSDB), há cinco que foram repassadas para os municípios onde Barbiere ficou entre os mais votados. Para Valparaíso, onde o petebista foi o campeão de votos, com 1.189 eleitores, Rossi destinou R$ 500 mil para recapeamento de ruas. O socialista recebeu 45 votos. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

    Leia tudo sobre: Roque BarbieriAssembleiaemendasvenda de emendasSP

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG