Disputa entre alas do PSB termina em murros e ovadas em Fortaleza

Com maioria na sigla, grupo ligado a Cid Gomes tentou destituir atual direção, foi impedido de entrar na sede e votou na rua

Daniel Aderaldo, iG Ceará |

Jogaram ovos em mim, deram murros e quebraram os óculos do deputado Sarto”, protestou o vereador de Fortaleza, Elpídio Nogueira

A executiva do PSB de Fortaleza foi destituída na noite desta quinta-feira (15), no meio da rua, porque cerca de 200 militantes da sigla impediram que a reunião acontecesse dentro da sede do partido. Para evitar que a ala majoritária ligada ao governador do Ceará, Cid Gomes, derrubasse o presidente do partido na capital, Sérgio Novais, esses militantes acorrentaram o portão, fizerem um cordão humano e bloquearam a entrada do prédio. Eles atiraram ovos, teve tumulto e pancadaria, mas ainda assim a reunião aconteceu do lado de fora da sede.

Há dez dias, a ala socialista ligada aos irmãos Ciro e Cid Gomes, contrária ao atual presidente municipal do partido, publicou um edital convocando os 30 membros do diretório para uma reunião que deveria decidir pela destituição da atual executiva. Eles argumentam que Sérgio Novais é avesso ao diálogo e à democracia interna e, por isso, queriam derrubá-lo.

Daniel Aderaldo/iG
Militantes do PSB ligados a Sérgio Novais fecham entrada do diretório do partido em Fortaleza
Pancadaria

Logo que o grupo opositor à direção, formado por 20 dos 30 integrantes do diretório, chegou em frente à sede do PSB de Fortaleza, por volta das 19 horas, foram recebidos por uma multidão de militantes que bloqueou a passagem. O grupo tentou forçar a entrada, mas foi atacado com ovos, socos, empurrões e xingamentos.

“Jogaram ovos em mim, deram murros e quebraram os óculos do deputado Sarto”, protestou o vereador de Fortaleza, Elpídio Nogueira, mostrando a camisa com as marcas da agressão.

Sem conseguir entrar na sede do partido, os 20 opositores de Novais votaram pela destituição, elegeram uma nova direção e assinaram a ata, tudo no meio da rua, em meio ao tumulto. Enquanto isso, os manifestantes atiraram ovos que atingiram também o presidente da Assembleia Legislativa do Ceará, deputado Roberto Cláudio.

“É exatamente isso que esse movimento quer mudar. Quer dar respeito, quer dar legitimidade à maioria. Quem não é acostumado a movimento democrático partidário tem dificuldade de entender que a maioria deve prevalecer. É lastimável e vergonhoso”, disse Roberto Cláudio.

Ilegal

Do outro lado, os defensores de Sérgio Novais afirmaram que a reunião na rua é ilegal e sem legitimidade. “Não existe legalidade nem sustentação jurídica para a destituição de Sérgio Novais. Ele foi eleitor e tem o mandato até 2012”, disse a deputada Eliane Novais, irmã de Sérgio. Os dois, aliás, não participaram da manifestação. A deputada só chegou quando o grupo cidista foi embora. “Esse é um ato oriundo da militância”, afirmou a parlamentar.

“Eles burlaram o próprio edital deles. Eles convocaram a reunião para dentro da sede e fizeram a reunião no meio da rua porque os filiados do partido estão ocupando a sede”, argumentou Airton Mendonça, secretário da executiva municipal. “Eles não fizeram a reunião aqui porque a gente impediu, certo. Mas eles podiam ter recuado e ter feito a reunião dez dias depois. Pelo estatuto, eles poderiam ter convocado uma reunião extraordinária e ter feito fez dez dias depois”, explicou.

Dois partidos

Com uma reunião realizada no meio da rua, não reconhecida por parte do diretório, o PSB de Fortaleza ficou dividido em dois. De um lado, a ala cidista afirma que uma nova executiva já está no comando do partido, com Karlo Kardozo na presidência. Do outro, o grupo de Sérgio Novais diz que a direção continua a mesma, porque a reunião foi inválida.

Rivalidade antiga

A disputa interna do PSB de Fortaleza não é de hoje, mas se intensificou nos últimos meses. A ala histórica, que fundou o partido no Ceará e à qual pertence o presidente municipal, diverge do grupo liderado pelos irmãos Cid e Ciro Gomes desde que os dois aportaram no partido, em 2005. Com as divergências sobre a sucessão em Fortaleza, os ânimos se acirraram.

Sérgio Novais lançou em junho a pré-candidatura de sua irmã, a deputada Eliane Novais. Os dois falam em manter a aliança, mas com o PSB encabeçando a chapa e o PT como vice, desta vez - a atual prefeita, Luizianne Lins, é filiada ao PT. O grupo ligado a Cid não gostou e reuniu o diretório municipal para anular a ata da reunião que havia definido a pré-candidatura.

    Leia tudo sobre: cid gomesfortalezapsbcearáeleições 2012

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG