Diretoria do TRE do Pará toma posse em janeiro

Tribunal inaugura Centro Cultural em novembro com obras de Di Cavalcanti, Portinari e Anita Malfatti

Menezes y Morais, iG Brasília |

O Tribunal Regional Eleitoral do Pará (TRE-PA) tem nova diretoria. O desembargador Ricardo Nunes foi aclamado nesta terça-feira o novo presidente para o biênio 2011-2012. Corregedor e vice-presidente, Nunes foi indicado pelo atual presidente, desembargador João Maroja, com a aprovação por unanimidade dos magistrados.

O desembargador Leonardo Tavares foi escolhido vice-presidente na próxima gestão. Tavares acumula a função de corregedor eleitoral. A posse da nova diretoria será no dia 28 de janeiro. A juíza de Direito Maria do Céo Maciel Coutinho foi empossada juíza efetiva. Ela substitui o juiz Paulo Gomes Jussara, que renunciou por questões de saúde.

A juíza Eva do Amaral Coelho, representante do Tribunal de Justiça do Estado, tomou posse como a mais nova juíza substituta do Pleno do TRE. Ela ocupa a vaga de Maria do Céo Coutinho. Eva do Amaral foi empossada pelo desembargador João Maroja na sala de reunião da presidência.

Centro Cultural

Também nesta terça-feira, o desembargador João Maroja informou que o Centro Cultural da Justiça Eleitoral do Pará será inaugurado na noite do dia 29 de novembro. O Centro foi aberto hoje aos jornalistas, que percorreram seus espaços em companhia do desembargador Maroja.

O desembargador agradeceu aos patrocinadores da obra e citou os nomes da Caixa, Banpará, Fiepa, Oi, Eletrobrás, Unimed, Cepa, Governo Federal, e instituições apoiadoras: Prefeitura de Belém e da Associação dos Magistrados do Estado do Pará. “Os projetos do Tribunal serão ampliados com o Centro Cultural, pois agora temos o espaço adequado,” disse.

Exposição coletiva

O museólogo Antônio Soares falou sobre os recursos a serem utilizados e a dinâmica do espaço. Foi enfatizada a parceria com as instituições públicas e privadas, entre elas a Caixa Econômica Federal, que vai expor telas de artistas como Di Cavalcanti, Emmanuel Nassar, Portinari e Anita Malfatti, no período de 30 de novembro a 16 de dezembro.

“As peças que serão expostas nunca haviam saído do eixo sul-sudeste, será a primeira vez,” ressaltou Maroja. Ele informou que foi investido R$ 1,3 milhão na execução do projeto do. O acervo da CEF terá um aparato especial de segurança e apoio da Secretaria de Estado de Segurança Pública.

    Leia tudo sobre: política

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG