Pagot foi apontado em suspeitas de envolvimento em esquema de corrupção em obras do Ministério dos Transportes

O Palácio do Planalto informou nesta terça-feira que o diretor geral do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT), Luiz Antonio Pagot, será exonerado do cargo assim que retornar de férias, iniciadas oficialmente ontem, embora tenham sido anunciadas apenas hoje.

A decisão das férias havia sido tomada pela Casa Civil, com apoio do Ministério dos Transportes, segundo o DNIT. Pagot foi apontado em suspeitas de envolvimento em esquema de corrupção em obras, junto com outros funcionários da cúpula dos Transportes. O Ministério dos Transportes formalizou nesta terça-feira a saída de dois auxiliares do ministro da Pasta, Alfredo Nascimento.

Pagot, no entanto, foi mantido. Foram exonerados o chefe de gabinete Mauro Barbosa da Silva, e seu assessor, Luiz Tito Barbosa Ouvini. O afastamento de Pagot foi um dos pontos de divergência em reunião de ontem no PR, partido que comanda o Ministério dos Transportes. Pagot é afilhado político do senador e ex-governador de Mato Grosso Blairo Maggi, também do PR. Pagot, antes de sair de férias, segundo o DNIT, fez contato com o ministro Jorge Hage, da Controladoria Geral da União, "para colocar as diretorias e coordenadorias da autarquia inteiramente à disposição da CGU".

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.