Dilma se reúne com líder búlgaro e recebe árvore genealógica

Segundo Marco Aurélio Garcia, presidenta eleita pretende visitar Bulgária, onde nasceu o pai da petista, no próximo verão europeu

Andréia Sadi, iG Brasília |

A presidenta eleita Dilma Rousseff se reuniu, na tarde desta quinta-feira, com o primeiro ministro da Bulgária, Boyko Medtodiev Borisov. No encontro, ocorrido no palácio do Itamaraty, em Brasília, ela recebeu um documento com a árvore genealógica da família dela, de origem búlgara, e uma foto da tia Vana – nome do meio da petista -, que nasceu naquele país, de acordo com relato feito por Marco Aurélio Garcia, assessor especial da Presidência. Segundo Garcia, ao receber a foto, Dilma sorriu, se disse feliz, mas explicou que já tinha a mesma foto em casa.

Andréia Sadi
O primeiro ministro da Bulgária, Boyko Medtodiev Borisov, após encontro com Dilma Rousseff
Ainda de acordo com o assessor, Dilma pretende visitar a Bulgária no próximo verão europeu, no meio do ano. Filha de pai búlgaro e mãe brasileira, Dilma já sinalizou que o país fará parte da política externa nacional na sua gestão. Borisov é um dos primeiros chefes de Estado com quem a presidenta eleita se reuniu. Dilma não falou com a imprensa depois da reunião.

Após o encontro, um assessor de imprensa da delegação búlgara brincou ao dizer que a eleição presidencial no Brasil deste ano recebeu mais atenções na Bulgária do que qualquer evento político do país.

Sem vínculos diretos, nem intensas relações políticas e econômicas com o país, nos últimos dois anos, a Bulgária passou a se considerar nação irmã do Brasil após a eleição, quando, ao menos uma vez por semana, um veículo da imprensa do país publicava algo sobre Dilma. A presidenta eleita não fala búlgaro e sabe poucas palavras no idioma. O pai dela, Petar Rusev (que virou Rousseff no Brasil), deixou a pequena cidade de Gabrobo, no interior da Bulgária, rumo à França e de lá veio para o Brasil. Pater Rusev nunca mais voltou ao país de origem.

Da família Rousseff na Bulgária há integrantes ocupando cargos de destaque na vida política e cultural do país. A porta-voz da Comissão Eleitoral da Bulgária, Ralitsa Negetsoeva, é prima em segundo grau de Dilma. Rayna Negentsoeva, uma das escritoras de histórias infantis mais respeitadas do país, é tia de Dilma. Um dos primos, Petar Kornazhev, foi deputado federal pelo Partido Social Democrata.

Localizada entre a Turquia e a Romênia, a Bulgária tenta se recuperar do fim da parceria com a extinta União Soviética e adaptar-se às regras impostas pela União Europeia. Com pouco mais de 7,9 milhões de habitantes, o país busca meios de resolver a questão das altas taxas de desemprego e melhorar o padrão de vida da população. Os esforços incluem ainda reformas estruturais e estímulo às privatizações.

Durante 54 anos, a Bulgária viveu sob o regime comunista. Em meio à adaptação ao capitalismo e alvo dos efeitos da crise financeira internacional de 1996, o país enfrentou dificuldades na área econômica que causaram demissões e perdas no campo e na indústria.

Atualmente, a Bulgária tem um governo formado por um presidente de esquerda e um primeiro-ministro de centro-direita. A economia é baseada na extração de minérios, como carvão, cobre e zinco, e na agricultura, com a produção de cereais e tabaco. O principal desafio do governo é retomar o desenvolvimento industrial do país.

*Com informações da Agência Brasil

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG