Dilma recebe prêmio no Senado

Após sua primeira derrota no Senado, presidenta é homenageada com prêmio concedido a mulheres que contribuíram com luta feminina

iG São Paulo |

A presidenta Dilma Rousseff compareceu nesta terça-feira ao plenário do Senado para receber o prêmio Bertha Lutz, concedido a mulheres que contribuíram para a ampliação dos direitos femininos.

Em seu discurso, o presidente do Senado, José Sarney, teceu elogios à presidenta, acrescentando que ao eleger uma mulher para o posto, o povo brasileiro adotou uma "posição ousada".

Poder Online: Vaccarezza acerta saída
Senado: Dilma troca lider do governo

Roberto Stuckert Filho
Dilma Rousseff recebe prêmio Bertha Lutz no Senado

A primeira visita da presidenta da República ao Congresso este ano coincide com o momento em que os parlamentares da base aliada se queixam do tratamento recebido do governo . O gesto coincide ainda com sua decisão de trocar o líder do governo no Senado .

Sai Romero Jucá (PMDB-RR), que está no cargo desde 2006, escolhido pelo então presidente Luiz Inácio Lula da Silva , entra o senador Eduardo Braga (PMDB-AM), ex-governador do Amazonas, que está no primeiro mandato. Além disso, o líder do governo na Câmara, Cândido Vaccarezza, acerta sua saída nesta terça-feira .

Sarney acrescentou que a presença feminina na política é fundamental para o País, para que ele alcance seus ideais de Justiça. "Quero homenagear a presidenta Dilma que rompe um paradigma ao ocupar a Presidência da República e é orgulho para todos os brasileiros e brasileiras que reconhecem no seu governo sua grande liderança”, disse Sarney.

Sarney ressaltou também que “a causa das mulheres não está integralmente ganha”. “Continuamos longe do ideal no corpo social e no trabalho”, completou.

Um esquema especial de segurança foi preparado no Senado para receber a presidenta . O plenário passou por uma varredura das 8 horas às 9h45 desta terça-feira, minutos antes da chegada de Dilma à Casa.

Saiba mais: Senado reforça segurança para receber Dilma

Uma outra curiosidade é a presença entre as homenageadas de Eunice Michiles, primeira mulher a ocupar uma vaga no Senado. Eleita pelo sistema da sublegenda, ela substituiu João Bosco, escolhido em 1978, que morreu de enfarte. Quando assumiu o mandato, em 1979, Michiles era filiada à Arena, partido de sustentação do regime militar, que prendeu e submeteu Dilma Rousseff à tortura.

Receberam também o prêmio Bertha Lutz a militante comunista Maria do Carmo Ribeiro, viúva de Luiz Carlos Prestes; a socióloga Rosali Scalabrin, representante da Comissão Pastoral da Terra e titular da Coordenadoria da Mulher do município de Rio Branco, no Acre e a professora Ana Alice Alcântara da Costa, do Departamento de Ciências Políticas e do programa de Pós-Graduação em Estudos Interdisciplinares sobre Mulheres na Universidade Federal da Bahia.

Com Agência Estado e Agência Brasil

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG