Na Índia, presidenta nega que aprovações no Congresso sejam vitórias de confronto entre governo e base e diz que imprensa criou crise

selo

A presidente Dilma Rousseff reagiu nesta quinta-feira, durante entrevista concedida em Nova Délhi, ao ser questionada se venceu a guerra com o Congresso Nacional, com as aprovações, na quarta, do Fundo de Previdência Complementar dos Servidores Públicos Federais (Funpresp) e da Lei Geral da Copa . "Eu não venci guerra nenhuma", desabafou.

No Senado: Aprovado novo regime previdenciário dos servidores
Na Câmara: Deputados aprovam Lei Geral da Copa

Presidenta brasileira Dilma Rousseff faz discurso na sessão da reunião dos Brics, em Nova Délhi
AP
Presidenta brasileira Dilma Rousseff faz discurso na sessão da reunião dos Brics, em Nova Délhi

A presidenta repetiu a tese de que não existe crise com o Congresso, mas sim uma coalizão de forças, que precisa de ajuste permanente, e que a crise é invenção da imprensa. "Uma parte disso vocês é que criam, né, gente. Vocês criam e o que é que eu posso fazer? Vocês chegam à conclusão que tem uma crise e depois têm de resolver como é que ela desapareceu. Aí vem as hipóteses."

Leia também:
- Dilma tem sua primeira derrota no Senado
- PR anuncia que fará oposição a governo

Dilma só soube na manhã desta quinta-feira (Nova Délhi tem fuso de oito horas e meia à frente do Brasil) do resultado das votações no Congresso Nacional. De acordo com interlocutores, a presidenta estava certa que os textos seriam aprovados.

Segundo auxiliares palacianos, a presidenta considera que fez um ajuste na sua margem de negociação com o Congresso. Para o governo, Dilma conseguiu estabelecer "um novo patamar" de relação com o Congresso Nacional.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.