Dilma manda parar especulação sobre ministro e diz que decidirá

Presidenta da República teve reunião no Palácio da Alvorada ao voltar da África na noite desta quinta-feira

Adriano Ceolin, iG Brasília |

AE
Dilma diz que vai decidir com calma caso Orlando Silva
Ao se reunir com ministros ontem à noite no Palácio da Alvorada, a presidenta Dilma Rousseff disse que ela ainda vai decidir sobre a permanência ou não de Orlando Silva no comando do Ministério do Esporte. Apesar da avaliação geral de que a situação dele é frágil, Dilma recomendou que nenhum auxiliar especule mais sobre o assunto. “Disse que vai pensar com calma e  decidir ”, contou um palaciano.

Participaram da reunião os ministros Gilberto Carvalho (Secretaria Geral da Presidência da República), Gleisi Hoffmann (Casa Civil) e Ideli Salvatti (Relações Institucionais). No encontro, Dilma recebeu um relato sobre as conversas que os três tiveram com o presidente do PC do B, Renato Rabelo, e com o próprio Silva ao longo da semana. Na África, ela chegou a dar declarações favoráveis ao ministro, acusado de comandar um esquema de corrupção na pasta do Esporte .

Carvalho contou a Dilma que o PC do B mantém a posição de apoiar o ministro, apesar de fazer um diagnóstico de que o quadro é de difícil sustentação . Orlando Silva participou da reunião desta quinta-feira em que o partido discutiu a crise na pasta que comanda desde 2006. “O PC do B não vai abandoná-lo. Não é assim que o partido funciona”, afirmou a senadora Vanessa Grazziotin (PC do B-AM).

No entanto, setores do PC do B e do Planalto avaliam que a tendência é Dilma querer preservar o partido. Ainda na África, ela ressaltou mais declarações de apoio ao PC do B que ao ministro do Esporte. Nesse caso, a solução mais óbvia é demissão de Orlando Silva com a substituição de um comunista para a pasta.

A cada dia, porém, aparecem mais denúncias ligando entidades que receberam recursos do Esporte e políticos do PC do B. Por conta disso, lideranças do partido temem que a sigla fique com a imagem desgastada se o noticiário se mantiver desta forma, inviabilizando a manutenção do ministério sob o comando do partido.. “Agora vão proibir de um militante do PC do B ter ong (organização não-governamental)!”, reclama um comunista.

    Leia tudo sobre: Adriano CeoliniG Brasília

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG