Dilma foi aplaudida 26 vezes durante cerimônia no Congresso

Sobraram ofertas de caneta para a presidenta; cerimônia teve a presença de ministros e até governadores de oposição

Adriano Ceolin, iG Brasília |

“Demorou, mas chegou”, gritou uma voz feminina quando Dilma Rousseff chegou à mesa do plenário da Câmara dos Deputados para receber o termo de posse como nova presidenta da República. Em meio a palavras de apoio e elogios de aliados, Dilma foi aplaudida 26 vezes durante a cerimônia.

Futura Press
Marco Maia e Sarney disputaram para ver quem emprestaria a caneta à presidenta
No momento de assinar o termo de posse, a petista teve até uma fartura de oferta de canetas. O primeiro a se manifestar foi o deputado Marco Maia (PT), candidato à presidência da Casa na nova legislatura. Em seguida, quem correu para dar uma caneta a Dilma foi o presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP). A presidenta sorriu e aceitou a do peemedebista.

A primeira salva de palmas veio quando Dilma falou, logo na abertura do discurso, sobre a importância de uma mulher chegar à Presidência da República. Outra leva veio quando quando citou o antecessor  Luiz Inácio Lula da Silva pela primeira vez. Neste momento Dilma, embargou levemente a voz e tomou um copo de água. O terceiro aplauso veio quando falou do ex-vice-presidente José Alencar.

Na plateia, marcaram presença os políticos que vão compor o primeiro escalão do novo governo. Os ministros do PMDB - Pedro Novais (Turismo), Moreira Franco (Secretaria de Assuntos Estratégicos e Wagner Rossi (Agricultura) - sentaram-se na mesma fileira, um ao lado do outro. Já os ministros Alexandre Padilha (Saúde) e Fernando Haddad (Educação), ambos do PT, assistiram à posse em pé na região central do plenário da Câmara. Também ligados ao partido de Dilma, Aloizio Mercadante (Ciência e Tecnologia) e Fernando Pimentel (Desenvolvimento) sentaram-se juntos na sexta fileira.

Dilma foi recebida aos gritos de “Olé, Olá Dilma, Dilma”, lema que marcou as saudações ao presidente Lula nos últimos oito anos. Um grupo de deputados chegou a puxar “Michel, Michel”, num aceno ao vice Michel Temer (PMDB-SP).

Primeira governadora eleita do País em 1994, a agora governadora reeleita Roseana Sarney (PMDB) assistiu à posse no plenário ao lado da deputada Emília Fernandes (PT-RS), ex-ministra da Secretaria de Políticas das Mulheres. Os governadores petistas Tião Viana (Acre) e Agnelo Queiróz (Distrito Federal) também marcaram presença. Da oposição compareceram os governadores tucanos Siqueira Campos (Tocantis) e Marconi Perillo (Goiás)

    Leia tudo sobre: governo luladilma roussefftransição

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG