Dilma diz que Alfredo se precipitou ao sair dos Transportes

Declaração foi feita durante almoço com deputados e senadores do PTB, PP, PRB e PSC realizado hoje no Planalto

Adriano Ceolin, iG Brasília |

AE
A presidenta Dilma Rousseff teve encontro líderes da base
Durante almoço com lideranças do PTB, PP, PSC e PRB, a presidenta Dilma Rousseff afirmou que o senador Alfredo Nascimento precipitou-se ao pedir demissão do cargo de ministro dos Transportes. “Ele tinha meu apoio”, disse Dilma, de acordo com relato de participantes do encontro realizado no Palácio do Planalto com duração de quase três horas.

Nascimento pediu demissão da pasta em julho depois de denúncias de corrupção no ministério e no Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit). A diretoria do órgão foi toda demitida no episódio que ficou conhecido como “faxina”. Quando voltou ao Senado, Nascimento reclamou que seu partido não era lixo e que ele não era lixo.

Segundo Dilma disse no almoço no Planalto hoje, Nascimento resolveu sair do cargo quando o filho dele Gustavo Morais Pereira, de 27 anos, foi envolvido em denúncias. De acordo com reportagem do jornal O Globo publicada em 5 de julho, Gustavo é investigado por enriquecimento ilícito pelo Ministério Público Federal.

No mesmo dia em que houve a publicação da reportagem, Nascimento encaminhou seu pedido de demissão à presidenta. No momento em que a carta de demissão chegou ao Palácio do Planalto, líderes do PR estavam reunidos com a ministra das Relações Institucionais, Ideli Salvatti, para tratar da crise no ministério.

Com a saída de Nascimento, as demissões nos Transportes atingiram mais de 20 pessoas, grande parte delas ligadas ao PR. Nesta terça-feira, o partido anunciou sua saída formal da base aliada ao governo. Em discurso na tribuna do Senado, Nascimento disse que partido se tornaria independente e que entregaria todos os cargos.

No almoço de hoje, Dilma afirmou que Nascimento voltou a se precipitar ao defender a saída do PR da base aliada. Apesar da pressão da bancada da Câmara, parte da bancada de senadores foi contra a decisão. Entre eles, o líder do PR no Senado, Magno Malta (ES), que corre o risco de deixar a liderança.

Participaram do almoço hoje com Dilma os senadores Marcelo Crivella (PRB-RJ), Gim Argello (PTB-GO), Eduardo Amorim (PSC-SE), Francisco Dornelles (PP-RJ) e os deputados Jovair Arantes (PTB-GO), Aguinaldo Ribeiro (PP-PB) e Ratinho Júnior (PSC-PR). Desde o começo da semana, Dilma tem se reunido com integrantes da base para acabar com a crise política no Congresso.

    Leia tudo sobre: DilmaPRMinistério dos Transportes

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG