Dilma define Lobão no Ministério de Minas e Energia

Presidenta eleita decide manter na pasta antigo titular, que deve entrar na cota da bancada do PMDB para o primeiro escalão

Andréia Sadi, iG Brasília |

A presidenta eleita Dilma Rousseff decidiu manter o ministro Edison Lobão na pasta de Minas e Energia. O senador é uma indicação da bancada peemedebista do Senado, além ter de preferência do presidente da Casa, José Sarney. A decisão deverá ser oficializada nesta sexta-feira junto com os novos nomes de ministros do governo da petista.

Segundo assessores do senador, havia uma expectativa de que Lobão desse uma coletiva ainda hoje no Congresso, mas ele avaliou que seria melhor esperar um anúncio oficial. Nas palavras de um aliado, o senador não quer correr o risco de ser o “próximo Sérgio Côrtes”- secretário anunciado como ministro da Saúde por Sérgio Cabral e desmentido pela própria presidenta.

 Nos últimos 15 dias, a presidenta eleita intensificou a montagem de sua equipe ministerial. Entre os nomes que a presidenta eleita já sinalizou para compor o seu ministério estão o deputado José Eduardo Cardozo para a pasta da Justiça e de Antonio Palocci para ser o ministro da Casa Civil, além de Guido Mantega (Fazenda), Miriam Belchior (Planejamento) e Alexandre Tombini (Banco Central).

 O senador Antonio Carlos Valadares (PSB-SE) foi convidado pela presidenta eleita Dilma Rousseff para assumir o Ministério do Turismo no lugar de Luiz Barreto, ligado ao PT de São Paulo. Mas ele ainda pode ir para outro ministério, segundo a reportagem apurou, como o de Micro e Pequenas Empresas, a ser criado. Ela definiu o nome de Paulo Bernardo para as Comunicações. Também é grande a expectativa entre os membros da equipe de transição para a permanência de Fernando Haddad na Educação.

    Leia tudo sobre: dilmatransiçãogoverno

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG