Dilma anuncia alta do Bolsa Família em evento popular

Nos moldes dos eventos de Lula, Dilma deve anunciar ampliação do programa e falar sobre os cortes no PAC

AE |

selo

A presidenta Dilma Rousseff estreia hoje um figurino mais popular. Pela primeira vez desde sua posse, Dilma participará de uma atividade nos moldes daquelas que empolgavam o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva . Na cidade baiana de Irecê, encravada no Polígono das Secas, ela vai falar para mulheres que trabalham na lavoura, assistir à emissão de documentos destinados a quem, muitas vezes, não tem sequer cédula de identidade e assinar contratos do Programa Nacional de Agricultura Familiar (Pronaf).

Dilma deve aproveitar o ato, que abre o mês no qual se comemora o Dia da Mulher, para divulgar um reajuste nos benefícios pagos pelo Bolsa Família. Atualmente, o programa atende 12,9 milhões de famílias, que recebem de R$ 22 a R$ 200. Esses valores não têm aumento desde 2009. Além do reajuste, a presidenta poderá anunciar a ampliação do Programa.

Habituada a uma agenda mais interna, no Palácio do Planalto, Dilma começou a receber cobranças até de petistas, que querem vê-la em atividades nas ruas. Seu estilo mais recatado, muito diferente do exibido por Lula - que fazia vários discursos em um único dia -, ainda não foi digerido nem pelos aliados. "Ela está indo muito bem, focada na gestão do governo, mas precisa ser mais palanqueira", resumiu o senador Lindbergh Farias (PT-RJ).

Em janeiro de 2003, dez dias depois de assumir a Presidência, Lula levou 29 ministros e secretários a tiracolo na visita à Vila Irmã Dulce, em Teresina (PI), e à favela Brasília Teimosa, no Recife (PE). Dizia que todos precisavam conhecer a pobreza e o "Brasil real". Agora, a comitiva de Dilma reunirá seis ministros, além do presidente da Petrobras, José Sérgio Gabrielli. A empresa e sua subsidiária Petrobras Biocombustível vão investir R$ 8,6 milhões em projetos para a melhoria das condições do solo de 23.660 hectares, uma área em que trabalham 9.100 agricultores de 63 municípios baianos.

Apesar dos cortes no Orçamento, da ordem de R$ 50 bilhões, Dilma fará questão de destacar hoje que os investimentos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) serão preservados. Depois da atividade em Irecê, a presidenta participará, em Salvador (BA), da cerimônia de anúncio da construção do Terminal de Regaseificação de Gás Natural Liquefeito (GNL) da Bahia. A obra, porém, só começará em março de 2012. Na lista dos projetos do PAC, o novo terminal contará com investimentos de US$ 706 milhões e a previsão é de que entre em operação em setembro de 2013.

    Leia tudo sobre: dilma rousseffPACNordestebolsa família

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG