"Não estou pedindo hoje um aumento de impostos", afirmou a presidenta em entrevista na TV

A presidenta Dilma Rousseff disse nesta quinta-feira que o País vai precisar de mais recursos para a Saúde, mas descartou um novo imposto neste momento. Ao participar ao vivo nesta manhã do programa da TV Record Hoje em Dia , Dilma afirmou que o Brasil deve primeiro melhorar a gestão da Saúde, embora isso não seja suficiente para atender as demandas de universalização e de qualidade do Sistema Único de Saúde (SUS). "Nós temos de provar, governo federal, governos estaduais e municipais, que podemos gerir bem a saúde e a partir daí a gente começa a conversar com a população", afirmou a presidenta.

Leia também: IPI maior para carro importado protege emprego, diz Dilma

Dilma participa do programa Hoje em Dia
Reprodução
Dilma participa do programa Hoje em Dia
"Tem um problema sério de gestão sim. A gente tem recursos e o uso desse recurso tem de ser melhorado", disse a presidente, ao ser questionada pelo apresentador se dava para melhorar a saúde do Brasil e se era necessário um novo imposto para isso.

"Não estou pedindo hoje um aumento de impostos. Nós vamos melhorar a gestão da saúde nesse País e, quando ficar claro para a população que ela precisa de mais coisa, ela mesma vai se encarregar de pedir. Temos de provar, o governo federal, estaduais, municipais, que nós podemos gerir bem a saúde e a partir daí começar a conversar claro para a população", comentou Dilma.

Comparação

Segundo Dilma, é possível "contar nos dedos" os países que oferecem serviço universal de saúde, gratuito e de boa qualidade. A presidente observou que o Brasil investe menos per capita do que países vizinhos. "Se você olhar, a Argentina per capita investe mais em saúde do que nós, 42% a mais, o Chile, 27% a mais, e se você olhar o setor privado versus o setor público, o setor privado per capita está colocando 2 vezes e meia mais."

Dilma citou o caso dos Estados Unidos para reforçar a ideia da necessidade de dinheiro do setor. "Não aceitem em hipótese alguma que a saúde no Brasil não precisa de mais dinheiro. Não é possível aceitar isso. Isso é uma coisa perigosa que nos Estados Unidos levou àquela dificuldade do Obama para aprovar o Medicare e o Medicaid", afirmou a presidenta.

O Medicare e o Medicaid são programas da saúde pública americana voltados para idosos e pessoas de baixa renda. Nesta semana, a ministra das Relações Institucionais, Ideli Salvatti, declarou que o Brasil precisaria de mais um imposto para financiar o sistema de saúde. Logo em seguida, diante da reação negativa de parlamentares da base e da oposição, líderes governistas do Congresso anunciaram a impossibilidade da criação de um imposto um ano antes das eleições municipais.

(Com Agência Estado e Valor Online)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.