Desafeto de ex-ministro, Cid Gomes apoia 'faxina' nos Transportes

Governador comparou a pasta com um novelo de lã em que "você pega uma ponta, vai puxando e encontrando mais" irregularidades

Daniel Aderaldo, iG Ceará |

AE
O governador do Ceará, Cid Gomes: "Tem que extirpar, corrigir os problemas e afastar as pessoas que se desviaram do caminho da honestidade"
O governador do Ceará, Cid Gomes (PSB), disse apoiar as demissões que estão ocorrendo no Ministério dos Transportes. Ele afirmou que as demissões no ministério são boas para o País porque “Brasília tem uma série de segredos de polichinelos” - aqueles que, já conhecidos por todos, deixaram de ser segredo, mas continuam sendo tratados como mistérios. 

Cid Gomes foi um dos protagonistas na saída de Alfredo Nascimento (PR) do Ministério dos Transportes. O estado precário das estradas federais do Ceará fez o governador chamar o ex-ministro de "inepto, incompetente e desonesto" e o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) de "laia" e "antro de roubalheira" , como mostrou o iG . Nascimento chegou a mover uma queixa-crime por calúnia e difamação contra Cid, mas terminou por não conseguir processá-lo. Mais tarde, foi demitido do cargo pela presidenta Dilma Rousseff. 

O governador do Ceará assistiu da China, onde cumpria agenda oficial, a queda de Nascimento e o início das demissões que a presidenta Dilma está fazendo nos ministérios em decorrência de denúncias e suspeitas de corrupção. No dia, ele chegou a divulgar nota dizendo que “não torceu pela demissão” .

Na noite desta quinta-feira (21), em um evento no Ceará, Cid foi questionado pela reportagem do iG se ele já conhecia as suspeitas de irregularidades que pairam sobre o ministro. “As pessoas sabem onde tem problemas. Brasília tem uma série de segredos de polichinelo. Todo mundo sabe que tem problema ali”, declarou.

Cid Gomes comparou a pasta dos Transportes com um novelo de lã em que “você pega uma ponta, vai puxando e encontrando mais”, justificando as demissões que vem ocorrendo em Brasília, a despeito das queixas de aliados do governo federal no PR . “.

Mesmo fazendo essas afirmações, o governador do Ceará não atribuiu ao PR a culpa pelas denúncias que recaem sobre os Transportes. “Eu não acho que isso seja uma questão partidária. Desonestidade é algo da natureza humana. Está presente em todos os lugares. No serviço público é muito mais presente do que em qualquer outro setor porque o dinheiro é público e, aparentemente, não tem dono”, disse.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG