Presidente do Senado diz que dará encaminhamento à representação do PSOL que pede processo por quebra de decoro parlamentar

selo

O presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), classificou há pouco como "graves" as denúncias que envolvem o ex-líder do Democratas Demóstenes Torres (GO). Sarney disse que vai dar encaminhamento à representação apresentada ontem pelo PSOL, que pede a abertura de processo por quebra de decoro parlamentar contra Demóstenes. O senador é suspeito de ter negócios ilícitos com o empresário Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira, preso na Operação Monte Carlo, da Polícia Federal, por exploração de jogos ilegais em Goiás.

Leia também: DEM decide na terça-feira se expulsa Demóstenes Torres

"As denúncias são graves e o que nós temos (que fazer) aqui é colocar em andamento as representações que forem feitas", afirmou Sarney, em rápida entrevista concedida depois da reunião com o presidente interino do Conselho de Ética do Senado, Jayme Campos (DEM-MT). Sarney não quis fazer qualquer avaliação sobre o futuro político de Demóstenes.

iG explica: Entenda a crise envolvendo o senador Demóstenes Torres

Vice-presidente do Conselho, Jayme Campos já disse que se sente impedido de conduzir o caso envolvendo Demóstenes, seu colega de partido. O cargo no conselho está vago desde setembro do ano passado, quando o senador João Alberto (PMDB-MA) deixou a Casa para ocupar um cargo no governo de Roseana Sarney. Um novo presidente do Conselho de Ética deverá ser eleito em 11 de abril.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.