Democracia e política social explicam popularidade, diz Patriota

Para ministro das Relações Exteriores, postura pacífica do Brasil também influencia imagem no exterior

BBC Brasil |

selo

O ministro de Relações Exteriores, Antonio Patriota, diz que a melhora na avaliação sobre a influência do Brasil no mundo, verificada em pesquisa da BBC divulgada nesta segunda-feira, se deve ao modo com que o País se relaciona com as outras nações e à aprovação ao modelo de desenvolvimento brasileiro.

"Acho que podemos atribuir isso (a melhora na avaliação) a um modelo no Brasil que associa democracia com crescimento inclusivo, geração de emprego e também uma forma de interagir com o resto do mundo que é baseada em soluções diplomáticas para problemas, cooperação para reduzir a fome e a pobreza e cooperação para criar mais mecanismos democráticos para lidar com questões globais", diz Patriota à BBC Brasil.

Segundo o ministro, nos últimos anos o Brasil estabeleceu como prioridade "comunicar-se com o mundo". Essa postura implicou a abertura de embaixadas em vários países da África, Oriente Médio e Ásia Central, regiões onde a diplomacia brasileira ampliou consideravelmente sua atuação. De acordo com o Itamaraty, 52 missões brasileiras foram abertas nos últimos oito anos. Como resultado, hoje o Brasil mantém relações diplomáticas com 191 dos 192 países membros da ONU. "Hoje acho possível dizer que o Brasil tem um alcance global verdadeiro", afirma o ministro.

Relações pacíficas

Patriota avalia também que a imagem mundial do país é favorecida por suas "relações exclusivamente pacíficas com o resto do mundo". "Não temos armas nucleares, não somos uma potência militar e não pretendemos ser uma. Nossa agenda é verdadeiramente uma agenda para a paz", diz ele.

O ministro diz ainda que contam a favor do Brasil alguns elementos de "soft power" (poder suave, em inglês), expressão que designa a habilidade de um país em influenciar atitudes e posturas por meio de valores, instituições ou da cultura. Entre esses fatores, ele cita o futebol brasileiro e as vitórias do país nas disputas para abrigar a próxima Copa do Mundo, em 2014, e os Jogos Olímpicos de 2016.

Pesquisa conduzida em 27 países, a pesquisa do Serviço Mundial da BBC revelou que as opiniões positivas sobre a influência do Brasil no mundo tiveram o maior salto entre as nações pesquisadas, passando de 40% a 49%. Já as visões negativas sobre a atuação brasileira caíram três pontos percentuais, para 20%. Somente num país - a Alemanha - as opiniões negativas sobre o Brasil suplantam as positivas (32% a 31%). O levantamento, coordenado pelo instituto de pesquisas GlobeScan/PIPA, foi feito entre dezembro de 2010 e fevereiro de 2011 com 28.619 pessoas, que opinaram sobre a influência de 16 países e da União Europeia.

    Leia tudo sobre: brasilinfluênciamundopesquisa BBC

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG