Demissão de Jobim durou menos que cinco minutos

Presidenta Dilma Rousseff recebeu ministro demissionário com frieza no gabinete. Substituto já estava definido antes

Adriano Ceolin, iG Brasília |

Menos de cinco minutos. Esse foi o tempo da audiência que Nelson Jobim teve hoje à noite com a presidenta Dilma Rousseff para oficializar sua demissão do ministério da Defesa. Segundo o iG apurou, ele trouxe uma carta por escrito em que alegou "razões pessoais" para deixar o governo. Ele já havia acertado sua saída do governo por telefone com a presidenta.

Jobim foi recebido com frieza pela presidenta. Eles nunca se deram bem. Palacianos e aliados avaliaram que, que Jobim forçou sua demissão ao dar declarações via imprensa que constrangeram Dilma, ministros e aliados.

A gota d' água foi a declaração de que a ministra Ideli Salvatti (Relações Institucionais) é "muito fraquinha". Jobim chegou à Defesa em 2007, no segundo mandato do então presidente Luiz Inácio Lula da Silva, com o objetivo de tentar aplacar a crise no setor aéreo.

Ex-ministro das Relações Exteriores de 2003 a 2010, Celso Amorim foi escolhido como substituto de Jobim ainda durante a tarde desta quinta-feira. Ele é filiado ao PT. O PMDB do Senado tinha esperanças de ficar com a vaga de Jobim, mas de novo acabou surpreendido por Dilma.

    Leia tudo sobre: DilmaJobimdemissão

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG