DEM não abre mão de vaga de vice para Dornelles

O presidente do partido Rodrigo Maia disse ao iG que só aceita ceder o posto na chapa de Serra para Aécio Neves

Adriano Ceolin, iG Brasília |

O presidente do DEM, Rodrigo Maia (RJ), voltou a afirmar nesta quinta-feira que indicará um nome do partido como vice de José Serra (PSDB). A declaração ocorre no momento em que os tucanos tentam fechar uma aliança com o PP, oferecendo a vaga ao senador Francisco Dornelles (PP-RJ).

Maia afirmou que só cederá o posto se o ex-governador de Minas Gerais Aécio Neves quiser ser o vice de Serra. “Nem quero discutir esse assunto porque quero esperar a decisão do Aécio”, disse. “Mas o combinado com o PSDB é que se ele não for o vice, a vaga é do DEM e vou indicar um nome”, completou.

Há 15 dias o presidente nacional do PSDB, Sérgio Guerra (PE), ofereceu uma aliança ao PP durante jantar no apartamento dele em Brasília. A bancada do PP na Câmara já foi consultada. Dos 42 deputados, 35 foram ouvidos e apenas dois discordaram da aliança com José Serra.

Fragilizado por conta do escândalo do “mensalão em Brasília”, o DEM tem sido preterido nas negociações do PSDB. Até agora não foi definido quem será o membro do partido que integrará a coordenação da campanha de Serra. O deputado Rodrigo Maia também vive uma disputa de espaço com o ex-senador Jorge Bornhausen e o prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab.

O deputado federal cassado José Dirceu ironizou o papel do DEM na campanha serrista em seu blog na internet. “Como quem não quer nada, com manobras desenvolvidas mais via imprensa, há semanas Serra vem alijando o DEM - hoje mais um fardo do que um apoio propriamente - do projeto de integrar sua chapa”, disse.

    Leia tudo sobre: rodrigo maiavice dem

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG