Corregedora diz que acompanhou julgamento pela televisão e que tomou remédios para dormir de tão tensa que ficou durante sessão

selo

Eliana Calmon chora ao falar sobre a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF)
O Globo
Eliana Calmon chora ao falar sobre a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF)
A corregedora Nacional de Justiça, Eliana Calmon, considerou uma "vitória do Judiciário brasileiro" a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) de permitir que o conselho investigue magistrados a qualquer momento. "Não me considero vencedora. Não é uma vitória minha. Foi uma vitória do Poder judiciário. E eu represento o Poder do Judiciário", afirmou.

P olêmica: STF mantém poderes de investigação do Conselho Nacional de Justiça

Resposta:
Peluso nega crise no Judiciário e condena 'pressões impróprias'

Eliana, que disse só ter acompanhado de casa pela TV o segundo dia do julgamento, teve até uma enxaqueca - tomou remédios para dormir - de tão tensa que ficou durante a sessão. Mas está aliviada. Contudo, ela vai esperar o fim do julgamento, previsto para ocorrer na próxima quarta-feira, para retomar a instrução de todos os processos disciplinares.

Os conselheiros Jefferson Kravchychyn e Gilberto Martins também elogiaram a decisão do STF. "O CNJ agora ficou livre para atuar da forma como sempre atuou", disse Kravchychyn, representante da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) há três anos no conselho. "Somente uma pequena parcela de magistrados é que não queriam ser investigados. Deu para se perceber pelo julgamento do Supremo", destacou Martins.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.