De volta ao governo paulista, Alckmin propõe pacto com oposição

Tucano agradeceu a Serra e Goldman, e prometeu tratamento igual a prefeitos paulistas, independentemente da filiação partidária

Nara Alves, iG São Paulo |

O governador eleito de São Paulo Geraldo Alckmin (PSDB) deu início à solenidade de posse na Assembleia Legislativa do Estado sugerindo um pacto com a oposição em prol da governabilidade. “Conto com a oposição responsável, que propõe o dialogo para melhorar o processo político e o governo como um todo”, disse na cerimônia após o presidente da assembleia, Barros Munhoz (PSDB), o declarar empossado no cargo.

Ele disse também que buscará trabalhar com “colaboradores competentes” de quaisquer partidos, e prometeu comprometimento com os municípios paulistas, além de igual tratamento para todos os prefeitos do Estado, independentemente da filiação partidária. Em sua fala, Alckmin garantiu que trabalhará pensando no operário e na trabalhadora: "Nenhum paulista será deixado para trás. (...)
"Vou trabalhar com ardor para que, de recém-nascidos a idosos, todos tenham acesso a atendimento médico de qualidade e humanizado", afirmou.

Acompanhado de seu vice, Guilherme Afif Domingos (DEM), da esposa Lu Alckmin e da filha Sofia, o governador eleito, que vestia uma gravata vermelha, agradeceu ao ex-governador José Serra e ao atual governador Alberto Goldman. “Me orgulho de ter participado como ator principal ou coadjuvante em governos estaduais rigorosos e cumpridores das leis”, disse Alckmin, que foi vice-governador de Mário Covas (PSDB).

Alckmin fez uma breve homenagem ao governador Orestes Quércia, que morreu de câncer no dia 24 de dezembro. "Saudade é presença da ausência", disse. A viúva de Quércia, Alaíde, e a filha Andreia estiveram presentes na cerimônia na Assembleia.

Esta é a terceira vez que Alckmin toma posse como governador de São Paulo. Em 2001, com a morte do então governador Mário Covas, Alckmin assumiu o mandato. Um ano depois, reelegeu-se governador. Nas últimas eleições, em outubro, foi eleito no 1º turno, com 50,63% dos votos válidos.

Comitiva

A cerimônia de transição do cargo começou às 10 horas na Assembleia Legislativa e termina por volta das 14h15 no Palácio dos Bandeirantes.

O cerimonial para a posse de Alckmin teve início às 8h30, quando Afif deixou sua residência, em Pinheiros, na zona oeste da capital paulista, e buscou o governador eleito Geraldo Alckmin (PSDB) em sua casa, no Morumbi, zona sul.

A comitiva que os levou até a Assembleia foi formada por nove carros, escoltados por cerca de 17 policiais em motocicletas da Polícia Militar (PM). Em um dos automóveis, Afif Domingos foi acompanhado pelo prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab (DEM), além dos atuais secretários da Casa Civil, Luiz Antônio Marrey, e Militar, coronel da PM Luiz Massao Kita. Os outros dois veículos foram ocupados por familiares, assessores e segurança das autoridades. Além dos carros oficiais, eleitores acompanharam a carreata. Um dos automóveis, por exemplo, levava o adesivo da campanha vitoriosa de Alckmin.

Depois da Assembleia, Alckmin e Afif seguiram para o Palácio dos Bandeirantes, às 11h30, onde foram recepcionados por Goldman e a primeira-dama, Deuzeni. Goldman faz um discurso no qual oficializa sua saída do cargo, enquanto Alckmin faz um pronunciamento de cerca de 40 minutos. Na sede do governo de São Paulo, o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso e o ex-governador José Serra cumprimentam o novo governador. Haverá também a transmissão do cargo de Presidente do Fundo de Solidariedade e Desenvolvimento Social e Cultural do Estado de São Paulo (Fussesp), tradicionalmente comandado pela primeira-dama.

Assim que terminar a cerimônia em São Paulo, Alckmin segue para Brasília para acompanhar a posse da presidenta eleita, Dilma Rousseff . As solenidades de posse presidencial começam às 14h30. Dilma e seu vice, Michel Temer, desfilarão pelas ruas de Brasília. Depois, passarão pelo Congresso, pelo Palácio do Planalto e, por último, pelo Itamaraty. A previsão inicial é que as festas acabem por volta das 21h.

*Com Agência Estado

    Leia tudo sobre: geraldo alckminguilherme afifgovernoserra

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG