De 0 a 10, chance de aliança PT-PSDB é de 9,9, diz prefeito de BH

Marcio Lacerda diz ainda que vice deve ser do partido da presidenta Dilma Rousseff. Porém, PSDB e PT ainda se estranham na cidade

Denise Motta, iG Minas Gerais |

Eu diria que é 9,9. Está bem encaminhado, com vice do PT. Isso é um desejo da cidade e de todos os partidos. Tem uma parcela muito minoritária do PT contra essa ideia. Então, vai prevalecer a vontade da maioria, inclusive no próprio PT, cuja maioria quer a aliança", diz Lacerda

De zero a 10, o prefeito de Belo Horizonte, Marcio Lacerda (PSB), avaliou em 9,9 a chance de fechar aliança entre sua legenda, o PT e o PSDB em torno de sua candidatura à reeleição em 2012. Em entrevista ao iG , o governador Antonio Anastasia (PSDB) disse haver uma tendência para que a aliança fosse reeditada . Em 2008, Lacerda foi lançado com os apoios do senador Aécio Neves (PSDB) e do ministro Fernando Pimentel (PT).

Entrevistas com o Poder: Anastasia prega aliança com PT em Belo Horizonte

PT e PSDB se estranham: Apesar de aliança próxima, partidos se atacam em Minas

“Eu diria que é 9,9. Está bem encaminhado, com vice do PT. Isso é um desejo da cidade e de todos os partidos. Tem uma parcela muito minoritária do PT contra essa ideia. Então, vai prevalecer a vontade da maioria, inclusive no próprio PT, cuja maioria quer a aliança”, afirmou ao deixar o Hospital de Pronto Socorro João 23, região central da cidade, ao lado do ministro da Saúde, Alexandre Padilha. Apesar disso, PT e PSDB mantém uma intensa troca de críticas .

Divulgação
O prefeito de Belo Horizonte, Marcio Lacerda: "Tem uma parcela muito minoritária do PT contra essa ideia. Então, vai prevalecer a vontade da maioria"
O PSDB já ocupa espaços na prefeitura e vem ganhando mais nos últimos meses. Recentemente, Lacerda modificou o status de uma secretaria adjunta para acomodar Zito Vieira (PCdoB). A secretaria de Esporte e Lazer tem o filiado ao PCdoB como chefe da pasta e, entre os adjuntos, está o tucano Roberto Tross, que deixou o governo Antonio Anastasia. O prefeito afirmou que as escolhas foram técnicas, apesar das filiações.

De olho em 2012: Palestra de prefeito de BH vira trabalho para nota em faculdade

Aliados 1: PSB fecha com PC do B e convida PSDB para aliança em BH

Aliados 2: Prefeito cria secretaria para o PC do B em Belo Horizonte

“Não tem conotação política, realmente. No caso foi a pessoa mais qualificada, ele trabalhou com juventude e lazer no governo do Estado”, disse, referindo-se a Tross. O PCdoB, que lançou candidato a prefeito em 2008 (deputada federal Jô Moraes), apoiará Lacerda em troca de apoio à candidatura da deputada federal Manoela D'Ávila (PCdoB) em Porto Alegre, com participação do PSB.

Questionado se o espaço do PSDB na prefeitura reforça a possibilidade de aliança, o prefeito confirmou a tese. “Naturalmente, porque essa aliança já funciona formalmente dentro da prefeitura e está aprovada pela cidade e aprovada pela população. Então, nada mais natural que ela continue”, finalizou.

Trocas de farpas

Lacerda reiterou que a vaga de vice será indicada pelo PT. Entre os nomes cotados estão os dos deputados federais Miguel Correia Júnior e Reginaldo Lopes (presidente do PT), além do ex-deputado federal Virgílio Guimarães e o secretário de Atenção à Saúde do Ministério da Saúde, Helvécio Magalhães, que deixou a Secretaria de Saúde em Belo Horizonte para dar lugar a um nome indicado pelo PSDB, Marcelo Teixeira.

Nesta quarta (30), Helvécio negou a intenção de ser vice, assim como Reginaldo Lopes. Miguel Correia e Virgílio Guimarães não foram encontrados para comentar o assunto. Lacerda teria preferência pelo nome de Guimarães, um dos petistas que mais se empenharam na sua campanha durante o segundo turno em 2008. Oficialmente, o prefeito não comenta sobre os aspirantes a vice na sua chapa.

Possíveis aliados:

- Se PT tiver nome forte para BH, PMDB apoia aliado, diz presidente

- Projeto Aécio pauta debate tucano para 2012 em Minas. PT reage e flerta com PMDB

Hoje, o vice-prefeito de Belo Horizonte é do PT. Roberto Carvalho é presidente municipal do PT e lidera um grupo a favor da convergências com partidos da base da presidenta Dilma Rousseff (PT), como o PMDB e o PDT. “O natural seria continuar a ser o Roberto”, disse o presidente do PT de Minas, Reginaldo Lopes.

Apesar da possibilidade de dividir espaço com os tucanos na campanha de 2012, Lopes não deixa de alfinetar os tucanos.“Minas está quebrada. Se você tirar o minério, somos a 14ª economia. O Estado teve sua industrialização interrompida. Com o PSDB, o Brasil não avançou e em Minas também não. Sobre os contrastes regionais em Minas, nada foi feito. Aécio tinha um bom relacionamento com o Lula e não conseguiu resolver os gargalos. E ainda rebatizou com a marca do Estado programas federais”, disparou. 

A respeito da escolha do vice do PT para a prefeitura da capital, Lopes diz que apenas no ano que vem sairá oficialmente um nome. Apesar de geralmente esta escolha se dar por meio de votação dos filiados, a definição pode ocorrer por meio de um entendimento. Sobre a cotação de seu nome, ele diz: “Prefiro ajudar Minas no Parlamento", completa.

PSDB reage

O presidente estadual do PSDB, deputado federal Marcus Pestana, respondeu às críticas do presidente do PT aos tucanos. Pestana disse que Lopes se move contra o PSDB por conta de uma disputa dentro do PT, para se legitimar como liderança. “Ele precisa se justificar e se legitimar para uma ala mais radical do PT”. O dirigente também criticou a alta concentração de recursos nas mãos do governo federal, o que contribui para que Minas não avance tanto quanto poderia.

“O Reginaldo não compreende. Ele está novo ainda e tem tempo para aprender. O PSDB ganhou as três últimas eleições estaduais e isto é o reconhecimento de nossos avanços. Fizemos barba, cabelo e bigode. Temos relações cordiais com ele, mas não esperamos que ele se renda e reconheça nossos avanços”, afirmou. O dirigente do PSDB ainda disse que o caminho do PSDB em 2012 só será definido em 2012, provavelmente em março, e que ele, particularmente, defende a manutenção da aliança com Lacerda, "pelo bem da cidade".

Continue lendo sobre as eleições 2012:

- Confiança em Serra é abalada por saída da prefeitura

-'É mais fácil falar o futuro do euro do que o do PSDB', diz FHC

- Clarissa Garotinho sobre aliança com o DEM: ‘Minha participação não é certa'

    Leia tudo sobre: eleições 2012marcio lacerdaptpsdbpsb

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG