Corregedor da Receita não vai participar de audiência no Senado

Antônio Costa D'Ávila deporia sobre vazamento de dados sigilosos de tucanos; ex-funcionário deve falar sobre caso Lina Vieira

Agência Brasil |

A falta de obrigatoriedade de comparecimento dos convidados deve frustrar uma série de audiências públicas agendadas para marcar o início dos trabalhos de esforço concentrado da Comissão de Constituição e Justiça do Senado nesta terça-feira.

O depoimento do corregedor-geral da Receita Federal, Antônio Carlos Costa D’Ávila Carvalho, não vai ocorrer nesta terça-feira. O funcionário da Receita falaria sobre o vazamento de dados sigilosos de integrantes da cúpula do PSDB, mas ele já comunicou à comissão que não deverá comparecer.

Os senadores devem ouvir apenas o ex-funcionário do Palácio do Planalto Demétrius Felinto. Ele trabalhou no sistema de câmaras do Palácio e alguns senadores acreditam que ele possa ter provas de que a ex-ministra da Casa Civil Dilma Roussef recebeu a ex-secretária da Receita Federal Lina Viera, em 2009. Dilma nega que esse encontro tenha ocorrido. Lina disse que Dilma tentou constrangê-la a acelerar o fim das investigações na Receita sobre a família do presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP).

Outros dois convidados que não deverão atender ao convite dos senadores são do Fundo de Pensão dos Funcionários do Banco do Brasil (Previ). O presidente da entidade, Sérgio Rosa, e o ex-diretor de planejamento Gerardo Xavier deveriam prestar depoimento sobre a possível montagem de dossiês dentro da Previ contra inimigos do PT.

O presidente da CCJ, senador Demóstenes Torres (DEM-GO), informou que também nesta terça-feira vai definir a pauta que entrará em votação.

    Leia tudo sobre: ccjsenadodilmareceita

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG