Corpo de Alencar subirá a rampa do Palácio do Planalto

Ex-vice-presidente será recebido em Brasília com honras militares, a exemplo de Tancredo Neves

Adriano Ceolin, iG Brasília |

O corpo do ex-vice-presidente José Alencar será velado nesta quinta-feira, em Brasília, em uma cerimônia que será marcada por homenagens dedicadas a chefes de Estado. Presidente em exercício, o atual Michel Temer decretou luto oficial de sete dias. "Justificamente porque sua excelência exerceu praticamente um ano a Presidência da República por causa das viagens do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva", explicou Temer.

O corpo de Alencar, que morreu vítima de um câncer nesta terça-feira, em São Paulo, deve chegar à base aérea da capital federal por volta das 9h15, onde será recebido com honras militares, pelos chefes dos três poderes: além de Temer, os presidentes José Sarney (Senado), Marco Maia (Câmara) e Cezar Peluso (Supremo Tribunal Federal).

Após um cortejo que deverá durar cerca de uma hora, o caixão subirá a rampa do Palácio do Planalto, a exemplo do que ocorreu com o presidente eleito Tancredo Neves, em 1985. Por volta das 10h30, o velório deverá então ser aberto ao público.

A presidenta Dilma Rousseff deve chegar a Brasília no começo da noite de quarta-feira, segundo informações da assessoria de imprensa. Ela está em Portugal, onde o ex-presidente Lula é homenageado. Os dois deverão comparecer juntos ao velório de José Alencar no Palácio do Planalto.

A homenagem ao ex-vice-presidente da República vai se estender por toda a madrugada desta quinta-feira. Por volta das 7 horas, o corpo segue para Belo Horizonte (Minas Gerais). Ainda não se sabe se Alencar será enterrado na capital mineira ou na sua cidade natal Muriaé. Nesta tarde, o corpo está sendo velado no Hospital Sírio-Libanês, com acesso restrito a familiares e convidados .

Em função da viagem da presidenta Dilma Rousseff ao exterior, o vice-presidente Michel Temer assumiu nesta tarde a tarefa de fazer um pronunciamento pela morte de Alencar. "Embora enfrentando uma tragédia, uma quase tragédia, soube manter uma harmonia interna e revelar uma tranquilidade excepcional perante todos brasileiros", afirmou. "O Brasil perde uma de suas grandes e expressivas figuras, tanto do setor empresárial como político", completou Temer.

De Portugal, Lula e Dilma lamentaram a morte de Alencar. "Tínhamos uma relação de irmãos, de pai e filho", disse Lula.

    Leia tudo sobre: josé alencarcâncer

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG