Coordenador de convênios errou ao botar a mulher em ONG, diz Lupi

Ministro do Trabalho confirma caso revelado pelo iG de que funcionário de confiança fez indicação em ONG suspeita ligada ao PDT

Adriano Ceolin e Severino Motta, iG Brasília |

AE
Carlos Lupi é ministro do Trabalho desde março de 2007
O ministro do Trabalho, Carlos Lupi, afirmou nesta quinta-feira que o coordenador de Contratos e Convênios da pasta, Manoel Eugênio Guimarães, errou ao indicar a mulher para trabalhar numa Organização Não-Governamental (ONG) suspeita de irregularidade. Mesmo assim, ele disse que não irá demitir o funcionário de confiança.

"Ele me informou que colocou a mulher dele durante 30 dias. Que errou e pediu que ela saísse”, disse Lupi, em entrevista coletiva depois de prestar esclarecimentos na Câmara dos Deputados sobre uma série de denúncias na pasta . “Acho que ele cometeu erro em botar a mulher dele lá. Não o demitiria ele por causa disso", afirmou o ministro do Trabalho.

Na sexta-feira passada, o iG publicou que Irany Guimarães de Oliveira, mulher do coordenador, trabalhou na Confederação Nacional dos Evangélicos (Conae) em fevereiro de 2009. A entidade recebeu R$ 3,3 milhões após firmar convênio com o Trabalho. Na época, Manoel Eugênio era assessor especial do ministro Carlos Lupi.

Leia também: Ministro admite falha em sistema anticorrupção em ONGs

Conforme o iG noticiou, a Conae é uma ONG ligada ao PDT. O presidente da entidade, Hélio César de Araújo Júnior, é filiado ao diretório do partido em Goiás, segundo informações do Tribunal Superior Eleitoral . Outros dois dirigentes da ONG também tiveram passagem pelo PDT-GO.

Em outra reportagem, o portal mostrou o depoimento de Geraldo Nascimento, dono de uma empresa fornecedora de alimentos, que afirmou ter sacado dinheiro para a Conae. “Eu só ia na última reunião, ia na licitação, ganhava a licitação e (depois) só ia no dia de sacar. A gente não entregava nenhum produto”, disse Nascimento.

Atualmente, a Conae encontra-se classificada como “inadimplente”, pois ela ainda não conseguiu finalizar sua prestação de contas. Como coordenador de Contratos e Convênios do Trabalho, Manoel Eugênio é o principal responsável pelo acompanhamento do processo.

Funcionário de carreira na pasta, ele não tem filiação partidária. Mesmo aposentado, Manoel Eugênio foi nomeado em cargos de confiança por Carlos Lupi, que é ministro do Trabalho desde março de 2007. “É uma pessoa séria”, disse o ministro sobre Manoel. Ele é um dos chefes que faz o acompanhamento (da prestação de contas). Mas nessa instituição (Conae) o repasse de recursos foi suspenso", afirmou.

    Leia tudo sobre: Crise no TrabalhoCarlos LupiConae

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG