Controladoria abre mais 4 processos para apurar fraudes nos Transportes

Desde o início da crise na pasta, já são sete sindicâncias relacionadas ao tema abertas

Valor Online |

 A Controladoria-Geral da União (CGU) instaurou hoje mais quatro sindicâncias para investigar as denúncias de irregularidade no Ministério dos Transportes. Desde o início da crise na pasta, já são sete sindicâncias relacionadas ao tema abertas pela CGU.

Os novos processos foram abertos entre 12 de julho e hoje. O primeiro processo apura denúncia envolvendo a contratação da Construtora Araújo Ltda, de propriedade de Ana Paula Batista Araújo, mulher do ex-diretor executivo do Dnit, João Henrique Sadok de Sá. A contratação da construtora foi feita pelo governo de Roraima para execução de obras rodoviárias custeadas com recursos do departamento.

O segundo processo investiga irregularidades em diversas licitações com indícios de direcionamento para determinadas empresas, com suposto envolvimento do servidor Marcelino Augusto Santos Rosa. Outro processo cuja portaria foi assinada hoje vai apurar possível superfaturamento em obras rodoviárias com uso do chamado jogo de planilhas, além do suposto envolvimento no esquema do coordenador de Construções Rodoviárias do DNIT, Luiz Munhoz Prosel.

O quarto processo vai apurar as responsabilidades pela determinação de execução de serviços de pesagem de cargas sem cobertura contratual pela empresa Engespro, envolvendo suposta participação do ex-coordenador geral de Operações Rodoviárias do DNIT, Luiz Cláudio Varejão. A essas apurações somam-se outras 18 sindicâncias e processos que já estavam instaurados pela CGU antes das denúncias envolvendo o Ministério dos Transportes. (Valor)

    Leia tudo sobre: DnitMinistério dos Transportes

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG