Com aliança indefinida, PSB faz “corpo a corpo” em Fortaleza

Enquanto não define seu futuro com o PT, socialistas se preparam para eventual rompimento com eventos na periferia da cidade

Daniel Aderaldo, iG Ceará |

Sem saber ainda se quer ou não compor uma chapa encabeçada pelo PT em Fortaleza, o PSB começa a se preparar para um eventual rompimento da aliança buscando se aproximar mais do eleitorado na capital cearense. O partido iniciou, no último sábado (3), uma série de eventos que irá percorrer diversos bairros da periferia da cidade até o mês de junho.

Ciro Gomes sobre Serra: "É o favorito, mas torço para que ele perca"

Inácio Arruda: "PT precisa abrir espaço para aliados"

PMDB: Manifesto acusa governo de privilegiar PT

“Vamos tomar o pulso. Nosso partido está nas pontas dos cascos, com vontade de apresentar um projeto”, disse ao iG o ex-ministro Ciro Gomes. Ele afirmou que a última palavra sobre a manutenção ou não da aliança será de seu irmão e presidente estadual da sigla, governador Cid Gomes. Contudo, fez ponderações. “Ele precisa ouvir qual o sentimento que nós temos”.

Batizado de “Atitude 40”, o movimento do PSB começou no bairro Antonio Bezerra, periferia de Fortaleza. Políticos e bandas de música dividiram o palco-palanque montado em uma praça. “É um corpo a corpo. Estamos mostrando para a cidade quem nós somos, ouvindo a cidade, anotando sugestões, as deficiências dos bairros”, afirmou o presidente municipal Karlo Kardozo.

“Se mantivermos a aliança, nós vamos trabalhar em cima de um projeto, defender um projeto. E, no caso de não manutenção, nós temos um programa pronto. Estamos preparados para sair sozinhos e estamos nos preparando para coligar em cima do que acreditamos”, avisou Kardozo

Indefinição

Cid Gomes defende a manutenção da aliança, mas diz que não cabe a ele definir sozinho o destino do PSB nas próximas eleições. Com isso, o governador abre espaço para que vozes destoantes ganhem força dentro do partido.

“Eu defendo que o PSB tenha candidato a prefeito e aposto que o PSB vai ter candidato. O governador deixa claro que não vai impor a opinião pessoal e vai respeitar a opinião do partido em Fortaleza. Então, eu aposto, pela minha percepção, que tem muita gente querendo. O partido como um todo quer”, declarou o vereador Salmito Filho, que migrou recentemente do PT para o PSB.

Quem não defende a candidatura própria, trata do assunto com cautela, demonstrando que há indefinição no cenário. “Está totalmente em aberto. Temos que saber o que a cidade, o que as pessoas querem, depois o que o partido quer, para, a partir daí, tomar uma decisão”, defendeu o presidente da Assembleia Legislativa do Ceará, deputado Roberto Cláudio (PSB), atualmente governador em exercício – Cid Gomes (PSB) e o vice-governador Domingos Filho (PMDB) estão em viagem oficial ao exterior.

Efeito Dilma

Durante a recente visita que a presidenta Dillma Rousseff fez ao Ceará, Cid e Luizianne fizeram um esforço conjunto para mostrar que os dois partidos permanecem unidos em Fortaleza . Os dois maiores fiadores da aliança política subiram no mesmo palanque e acompanharam juntos, do início ao fim, toda a agenda presidencial.

    Leia tudo sobre: psbfortalezacearágomes

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG