Código só voltará à pauta quando governo tiver segurança

O projeto do novo Código Florestal só voltará à pauta de votação da Câmara quando o governo tiver segurança de vitória

AE |

selo

O projeto do novo Código Florestal só voltará à pauta de votação da Câmara quando o governo tiver segurança de vitória. Na madrugada de hoje, a votação no plenário foi suspensa após a ameaça de derrota do governo em itens que o Palácio do Planalto não aceita modificar no parecer do relator Aldo Rebelo (PCdoB-SP). "O governo não trabalha com prazo, mas na expectativa de chegar a um acordo. Temos de fazer um acordo que nos permita a vitória", afirmou o líder do governo na Câmara, Cândido Vaccarezza (PT-SP).

AE
O líder do governo na Câmara, Cândido Vaccarezza, e o ministro da Relações Institucionais, Luiz Sérgio
O líder disse que o governo não vai concordar com nenhuma agressão ao meio ambiente, a anistia de desmatadores nem com a consolidação de áreas já desmatadas. O governo, segundo Vaccarezza, não recua de fazer o decreto para definir as culturas que serão permitidas em áreas de preservação permanentes. Esses são os pontos nos quais deputados ruralistas ameaçam alterar e que provocou a suspensão da votação.

"O governo só concordará com a votação do texto quando a situação estiver equilibrada entre o meio ambiente e a produção agrícola. Não vamos comprometer a defesa do meio ambiente. É o estilo de desenvolvimento do País e o exemplo que o Brasil dá ao mundo", afirmou o líder governista. "Se não tiver acordo, não tem votação". O líder descartou a hipótese de votação na próxima semana, quando o presidente da Câmara estará ausente do País.

Como forma de pressão para que os deputados da base aceitem chegar ao texto defendido pelo Palácio do Planalto, o governo tem usado o dia 11 de junho. Nesta data extingue o decreto que suspendeu as punições para os proprietários que desmataram suas propriedades. "É bom que os interessados se apressem para fechar um acordo. Nunca ouvi no governo nenhuma proposta de prorrogar o decreto", disse Vaccarezza.

    Leia tudo sobre: código florestalaldo rebelo

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG