Cobranças por obras para a Copa de 2014 irritam Lula

O presidente subiu o tom para rebater a Fifa um dia após a entidade dizer que as obras para a Copa do Mundo estão atrasadas

AE |

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva subiu o tom para rebater a Fifa um dia após a entidade dizer que as obras para a Copa do Mundo de 2014, que será no Brasil, estão atrasadas. "Vocês viram que terminou uma Copa do Mundo na África do Sul agora e já começam aqueles a dizer: Cadê os aeroportos brasileiros? Cadê os estádios brasileiros? Cadê os corredores de trem brasileiros? Cadê os metrôs brasileiros?, como se nós fôssemos um bando de idiotas que não soubéssemos fazer as coisas e não soubéssemos definir as nossas prioridades", afirmou o presidente, nesta terça-feira, em Brasília, no lançamento do edital de concorrência do projeto do Trem de Alta Velocidade (trem-bala), que ligará Campinas, São Paulo e Rio de Janeiro. 

AE
Presidente Lula discursa em cerimônia de lançamento do edital de concorrência do projeto do trem-bala
Na última segunda, o secretário-geral da Fifa Jerome Valcke havia dito que o Brasil tinha problemas com estádios, estradas, sistema de telecomunicações e aeroportos. O dirigente também se mostrou preocupado com a capacidade da rede hoteleira do País. O Brasil deve receber durante o Mundial cerca de 600 mil estrangeiros e a expectativa é que três milhões de brasileiros circulem pelo País durante a competição. "Vamos trabalhar em todos esses assuntos", disse Valcke.

 Em setembro, a Fifa vai abrir um escritório no Rio de Janeiro e passará a cobrar e acompanhar de perto as obras no País. Auditoria encerrada em abril e aprovada duas semanas atrás pelo Tribunal de Contas da União (TCU) apontou que as providências para a organização da Copa de 2014 estão "impressionantemente atrasadas". Técnicos do TCU dizem que quanto mais vagos são os contratos, mais difícil fica a fiscalização e citam o caso do Pan de 2007, quando o governo federal teve de dar um socorro emergencial ao Rio. O orçamento inicial de R$ 520 milhões virou uma obra de R$ 4 bilhões.

 Apesar de não admitir que o Brasil está atrasado com as obras de infraestrutura para a Copa e a Olimpíada de 2016, Lula reconhece que o País terá de correr contra o tempo. "Acho plenamente possível a gente inaugurar essas obras até 2016. Aqui faz muito sol; aqui, de vez em quando, a gente pode trabalhar em dois turnos; aqui, de vez em quando, se quiser, a gente pode trabalhar em três turnos; aqui, de vez em quando, a gente pode trabalhar aos sábados e domingos, ou seja, aqui a gente pode acertar qualquer coisa, desde que o objetivo seja a gente entregar a obra da melhor qualidade possível, no menor prazo possível", disse.

    Leia tudo sobre: LulaCopa

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG