Ciro não tem moral para falar do PMDB, diz Raupp

Peemedebista diz que socialista terá de medir as palavras se quiser ser membro do primeiro escalão de Dilma

Andréia Sadi, iG Brasília |

O novo presidente do PMDB, Valdir Raupp (RR), manifestou preocupação hoje quanto a uma possível entrada do deputado socialista Ciro Gomes (CE) no primeiro escalão do governo da presidenta eleita Dilma Rousseff.

"Ciro não tem moral para falar do PMDB vai ter que medir as palavras se quiser ser membro da equipe de governo com a qual pretende contribuir não pode ficar esculhambando", disse o peemedebista sobre o deputado, que recentemente afirmou que o PMDB seria um ajuntamento de assaltantes.

 Desafeto de Ciro Gomes, o vice-presidente eleito, Michel Temer (PMDB), disse durante a semana que, se for mesmo confirmado no ministério de Dilma, o deputado terá de tomar as devidas "cautelas verbais que o cargo exigirá". A incontinência verbal de Ciro irritou o PMDB ao longo dos últimos meses.

Sem nenhuma reserva, o deputado costuma atacar o partido do peemedebista. Numa entrevista, ao comentar a aliança do PMDB com o PT para a disputa presidencial, Ciro se referiu assim aos dirigentes peemedebistas: "Quem manda no partido não tem o menor escrúpulo. Nem ético nem republicano. Nem compromisso público. Nada." Ele ainda afirmou que o PMDB é "um ajuntamento de assaltantes".

    Leia tudo sobre: pmdbciro

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG