Ciro deve responder sobre ministério de Dilma hoje

Deputado foi convidado pela presidenta eleita para ocupar cargo na Esplanada

Andréia Sadi, iG Brasília |

Acaba nesta quarta-feira o prazo combinado entre o deputado federal Ciro Gomes (PSB-CE) e a presidenta eleita, Dilma Rousseff , sobre o convite para que o socialista integre o primeiro escalão do governo a partir do ano que vem. Na Esplanada dos Ministérios, o PSB ficará ao menos com Portos e Integração Nacional. Inicialmente, os indicados pelo PSB para as pastas eram Fernando Bezerra, atual secretário de Desenvolvimento Econômico do governo de Eduardo Campos, em Pernambuco, e Márcio França, deputado por São Paulo. Na última sexa-feira, no entanto, o jogo ministerial mudou com o convite de Dilma para Ciro compor sua equipe.

DIVULGACAO
Dilma Rousseff se despede dos integrantes da cúpula do PSB, em evento em Brasília logo após o primeiro Turno. Cid Gomes, Ciro Gomes e Eduardo Campos querem novas pastas
Em reunião na Granja do Torto, a cúpula do PSB foi surpreendida quando Dilma avisou que gostaria de ter o deputado no ministério. O PSB agora aguarda uma resposta do parlamentar para definir como vai compor sua cota na Esplanada. A Ciro cabe decidir se aceita retornar à pasta da Integração Nacional, que já ocupou no governo de Luiz Inácio Lula da Silva . Inicialmente, ele disse a aliados que recusaria a oferta, considerando-a "figurinha repetida". Mas, agora, restaram poucas posições de ponta no governo. Neste cenário, Bezerra ocuparia a Secretaria de Portos.

Ontem, Ciro ficou de ligar para Dilma para parabenizá-la pelo aniversário e aproveitaria para discutir a sua situação. No entanto, uma resposta só deverá ser conhecida nos próximos dias. O presidente do partido, Eduardo Campos chegou a Brasília na última terça e também pode se reunir com Dilma ainda hoje. O irmão de Ciro e governador do Ceará, Cid Gomes, também está na capital federal.

Ciro estava desde o começo da montagem do governo alheio às negociações. O deputado esperava um convite da presidenta eleita e já recusara nos bastidores ocupar o que chamou de "ministério periférico". Por ter descartado candidatura própria à Presidência neste ano e declarado apoio a Dilma Rousseff, Ciro, se aceitar, fará parte da "cota de Dilma" na Esplanada. Depois do primeiro turno, ele foi convidado a fazer parte do núcleo da campanha.

O PSB ganhou peso na composição do governo Dilma por ter seis governadores eleitos neste ano. Com isso, aumenta a pressão sobre mais cargos na administração federal. Uma decisão final sobre os nomes do PSB no governo Dilma será tomada até quarta-feira, prazo que Ciro assumiu para se manifestar sobre o convite.

    Leia tudo sobre: ciro gomesdilma rousseffministério

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG