Chinaglia abre mão de disputar presidência da Câmara

Ele declarou apoio ao vice-presidente da Casa, Marco Maia, que agora disputa apenas com o líder Cândido Vaccarezza

Ricardo Galhardo, iG São Paulo |

O deputado Arlindo Chinaglia (PT-SP) abriu mão de disputar a presidência da Câmara. Em reunião da bancada do PT que acontece na tarde desta terça-feira na sede do partido, em Brasília, Chinaglia declarou apoio ao vice-presidente da Casa, Marco Maia (PT-RS), que agora disputa apenas com o líder do governo na Câmara, Candido Vacarezza (PT-SP).

A reunião foi interrompida no final desta manhã devido à impossibilidade de um acordo entre os postulantes. Os deputados petistas querem evitar a qualquer custo que a decisão ocorra no voto, o que poderia rachar a bancada do partido.

A disputa promete ser acirrada. Embora pertença ao grupo majoritário, Construindo um Novo Brasil (CNB), Vacarezza corre o risco de perder a disputa com Maia, que é do Movimento PT. Um grupo de pelo menos 15 dos aproximadamente 50 deputados do CNB sinalizou ao longo das últimas semanas a intenção de apoiar Maia ou Chinaglia.

A Mensagem ao Partido, segunda maior corrente interna, deve ser o fiel da balança. Com 24 deputados, a Mensagem havia fechado um acordo com Vacarezza em troca da indicação de Paulo Teixeira (PT-SP) para líder do partido na Câmara. Desde ontem, no entanto, o governador eleito do Rio Grande do Sul, Tarso Genro, principal líder da Mensagem, passou a jogar a favor do gaúcho Maia.

Além de Teixeira, concorrem ao posto de líder do PT na Câmara Jilmar Tatto (PT-SP), da corrente PT de Lutas e de Massa, e José Guimarães (PT-CE), da CNB. Acordo firmado com o PMDB garante do PT, dono da maior bancada na Câmara, o direito de indicar o presidente da Câmara para o próximo biênio.

    Leia tudo sobre: câmarapresidênciadisputa

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG