Chefe da polícia cai após dizer que Agnelo sairia 'de camburão'

Para governador do DF, demissão de delegado foi necessária "para garantir a normalidade administrativa da instituição"

iG São Paulo |

O delegado Onofre de Moraes pediu exoneração do cargo de diretor-geral da Polícia Civil do Distrito Federal hoje (2). Moraes assumiu o cargo no dia 3 de novembro de 2011 e saiu após a divulgação de um vídeo no qual fazia críticas ao governador Agnelo Queiroz (PT-DF) . No vídeo, o diretor aparece afirmando que o governador deixaria o Palácio do Buriti "em um camburão da Polícia Federal".

AE
O governador do DF, Agnelo Queiroz (PT)
Leia também: Patrimônio de Agnelo Queiroz subiu 413%, diz revista

Segundo a assessoria do governo do Distrito Federal (GDF), Agnelo tomou conhecimento do vídeo na manhã de quinta-feira e, assim, a situação do delegado no governo ficou insustentável. Depois de ver as imagens, o governador reuniu-se, então, com Moraes e o secretário de Segurança Pública, Sandro Avelar. Na reunião, o diretor-geral da Polícia Civil entregou o cargo e Avelar ficou encarregado de indicar um substituto para o posto.

O porta-voz do GDF, Ugo Braga, disse que Agnelo explicou que “a medida ( a saída de Moraes ) se faz necessária para garantir a normalidade administrativa da instituição”.

O vídeo de Moraes criticando o governador do DF foi postado na noite de ontem (1º), no blog do jornalista Edson Sombra, conhecido por sua ligação com o ex-delegado Durval Barbosa, que delatou, também apresentando imagens gravadas, o esquema de corrupção conhecido como mensalão do DEM. As novas imagens têm data de 16 de junho de 2011.

(Com informações da Agência Brasil)

    Leia tudo sobre: Agnelo QueirozAgneloDFDistrito Federal

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG