Pré-candidato do PMDB ataca Serra e diz que tucano é incoerente: 'Ele deixou claro muitas vezes que não quer ser prefeito'

selo

O pré-candidato do PMDB à Prefeitura de São Paulo, Gabriel Chalita, afirmou na quarta-feira que o ex-governador José Serra quer "disputar o terceiro turno" da eleição presidencial ao se colocar como pré-candidato do PSDB na corrida municipal paulistana.

Coletiva: Sonho da Presidência está 'adormecido', afirma Serra
Anúncio: Ao formalizar candidatura, Serra nacionaliza disputa em São Paulo

Gabriel Chalita (dir.) critica Serra e acusa tucano de incoerência
AE
Gabriel Chalita (dir.) critica Serra e acusa tucano de incoerência

"Serra entra na eleição para disputar o terceiro turno das eleições presidenciais. Então ele vem com um discurso nacional. Ele deixou claro muitas vezes que não quer ser prefeito, quer ser presidente da República", disse o parlamentar ao Estado.

Chalita criticou o ex-governador, de quem foi desafeto enquanto era filiado ao PSDB - ao sair do partido em 2009, passou pelo PSB antes de ir para o PMDB.

"Quem pode ser acusado de incoerente é o Serra, que assina uma coisa e não cumpre o que assinou, e o Kassab, que acena para um lado e para outro. Eu tenho uma cara só. Na nossa linha, não tem política de subsolo, é tudo absolutamente claro", disse ao ser indagado se o eleitorado não apontaria incoerência nas críticas, já que ele fazia parte da mesma sigla que Serra.

Questionado sobre uma eventual pressão do PT para abrir mão de sua candidatura e apoiar o petista Fernando Haddad, no cenário com Serra na disputa, Chalita disse que a eleição não será polarizada e que o PT respeita a sua intenção de disputar.

"Tenho muito respeito pelo PT, pela presidenta Dilma (Rousseff) e pelo presidente Lula, mas minha candidatura não é linha auxiliar de ninguém", disse. Segundo Chalita, o vice-presidente Michel Temer (PMDB) está "muito empolgado" com a sua campanha .

PMDB na disputa: Temer reafirma candidatura de Gabriel Chalita em SP

"Não muda a estratégia do PMDB, porque a gente já contava com a candidatura do Serra. Ele tem dito uma coisa e tem feito outra já faz um tempo", disse.

O pré-candidato disse ser bem-vindo o apoio do PSDB, caso vá ao segundo turno. "Se eu for contra o PT, espero que o PSDB apoie. Minha relação com (o governador Geraldo) Alckmin é muito boa e continua muito boa", afirmou. "Serra não apoiaria o PT no segundo turno. Quero o voto dos eleitores do PSDB, inclusive no primeiro turno." As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.