CGU aponta irregularidades em aplicação de recursos públicos

Em sua 31º e 32º edição, o Programa de Fiscalização por Sorteios fez a verificação em 120 municípios

Agência Brasil |

A Controladoria-Geral da União (CGU) apurou irregularidades na aplicação de recursos públicos nos 120 municípios brasileiros incluídos na 31ª e 32ª edição do Programa de Fiscalização por Sorteios. De acordo com o secretário federal de Controle Interno da CGU, Valdir Agapito, no total, foi fiscalizada a aplicação de R$ 2,4 bilhões repassados pelo governo federal.

No município de Tefé, no Amazonas, por exemplo, o montante de R$ 11 milhões não teve documentação apresentada para comprovar a origem dos gastos, provenientes de recursos do Fundeb. Em Curralinho, no Pará, as despesas sem comprovação chegaram a R$ 9,7 milhões.

Segundo Agapito, após o recebimento do relatório de prestação de contas irregulares da CGU, os órgãos competentes tomarão as providências cabíveis. “Após o encerramento desse trabalho de fiscalização, nós encaminhamos os relatórios para o Ministério Público entrar com ações penais e civis no Poder Judiciário, para o Tribunal de Contas da União (TCU) estabelecer penas, multas e a desaprovação das contas, e a Advocacia-Geral da União (AGU) entra com as ações de ressarcimento do dinheiro mal utilizado. E por fim mandamos para Polícia Federal para que sejam desencadeados alguns processos de investigação”, destacou o secretário, em entrevista ao programa Revista Brasil , da Rádio Nacional .

O Programa de Fiscalização por Sorteios é uma iniciativa do governo federal, para tentar inibir a má-gestão na esfera pública. Foi criado em 2003 e já sorteou mais de 1,7 mil municípios em todo o País, fiscalizando R$ 15,5 bilhões em gastos não autorizados. Os auditores examinam documentos, contas e fazem inspeção das obras e serviços em andamento.

    Leia tudo sobre: CGUfiscalização

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG