Campos diz que cortes no orçamento não afetarão Pernambuco

Governador reeleito diz ter certeza da atenção do governo de Dilma Rousseff ao Estado pernambucano

AE |

selo

O governador reeleito de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB), afirmou em seu discurso de posse ter a certeza da "mais dedicada atenção" do novo governo de Dilma Rousseff (PT) em relação ao Estado - com a manutenção da mesma linha adotada por Luiz Inácio Lula da Silva (PT). A previsão de cortes no orçamento na próxima gestão não o preocupa.

Em rápida entrevista, ele disse que Pernambuco conseguiu multiplicar por quatro a sua capacidade de investimento. Por isso, projetos já pactuados não serão afetados.

AE
Governador mais votado do País, Eduardo Campos (E) assume o segundo mandato em Pernambuco
"Pernambuco fez o dever de casa", afirmou, antes de embarcar para Brasília, com a família, para assistir à posse da nova presidente. "Há grande capacidade para ampliar parcerias com o Banco Mundial e Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES)".

Reeleito com a maior votação proporcional do País (82,8%), Campos afirmou que a manutenção do apoio do governo federal é imprescindível para a consolidação dos grandes projetos conquistados pelo Estado no governo do presidente Lula, a exemplo da transposição do rio São Francisco, Ferrovia Transnordestina, refinaria, estaleiro, pólo petroquímico, e mais recentemente uma fábrica da Fiat. O governador lembrou que a parceria com o governo federal ajudou a "retirar Pernambuco das listas e rankings negativos", a exemplo do desemprego e violência.

Campos destacou que Pernambuco cresce mais que a média brasileira e nordestina e tem por meta dobrar o seu Produto Interno Bruto (PIB) nos próximos dez anos. Ao afirmar que "o Nordeste faz parte central da solução brasileira", o político listou como desafios "do atual momento de inclusão e crescimento" a melhoria da qualidade da educação e da qualificação profissional, melhoria da qualidade do gasto público, reforma tributária, redução das taxas de juros e ampliação da oferta de financiamento de longo prazo que garanta o aumento da participação dos investimentos na renda nacional.

O governador foi recepcionado na Assembleia Legislativa por um cortejo de caboclos de lança de maracatus e entrou no prédio pontualmente às 10 horas (horário local) ao som da música "Asa Branca", de Luiz Gonzaga.

    Leia tudo sobre: dilma rousseffposseeduardo campospernambuco

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG