Câmara vai investigar vice-prefeito de Embu-Guaçu preso

Fernando Branco Sapede foi preso por suposto exercício ilegal da medicina e falsidade ideológica

AE |

selo

A prefeitura de Embu-Guaçu, na Região Metropolitana de São Paulo, informou hoje, por meio de nota, que a Câmara Municipal vai averiguar a conduta do vice-prefeito, Fernando Branco Sapede, de 48 anos. Ele, que foi preso na tarde de ontem, responde processo por exercício ilegal da medicina e falsidade ideológica. A assessoria de imprensa disse ainda que Sapede "não exerce nenhuma função de confiança na prefeitura de Embu-Guaçu, por motivo de afastamento médico".

Em abril de 2010, o vice-prefeito e um rapaz, Rodrigo, de 30 anos, foram detidos em flagrante por ambos os crimes. Segundo informações da Delegacia Seccional de Taboão da Serra, naquela ocasião, onde o caso foi apresentado, Sapede emprestava o carimbo e o CRM para Rodrigo exercer a profissão.

Sapede também já se envolveu em dois casos de atropelamento. Na noite de 6 de março de 2010, o vice-prefeito atropelou um menino de 13 anos que andava de bicicleta na porta de casa, no quilômetro 42,5 da Rodovia SP-216, em Embu-Guaçu. Testemunhas afirmaram que o vice-prefeito dirigia uma carro no sentido bairro quando, em uma lombada, perdeu o controle da direção e subiu na entrada da casa, onde o adolescente estava. Ele se recusou a fazer o teste do bafômetro.

No dia 12 de abril do mesmo ano, o vice-prefeito foi preso após atropelar um homem de cerca de 50 anos na estrada municipal Antonio Gerrassi, no bairro Santa Fé, em Embu-Guaçu. O teste do bafômetro indicou que Sapede tinha 1,6 miligramas de álcool por litro de ar expelido, teor cinco vezes maior que o aceito pela lei. Testemunhas afirmaram que ele tentou fugir do local do atropelamento, mas foi impedido por um caseiro que testemunhou a cena.

    Leia tudo sobre: vice-prefeitoEmbu-Guaçu

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG