Câmara de SP adia votação para proibir sacola plástica

De autoria do PSDB, projeto prevê que redes de supermercados com mais de 20 lojas teriam seis meses para proibirem a distribuição

Agência Estado |

selo

Os vereadores paulistanos não entraram em consenso para votar ontem um projeto que estabelecia prazo até 2014 para o fim das sacolas plásticas no comércio da capital paulista. O vereador Francisco Chagas (PT) contou com o apoio dos parlamentares do PR, PMDB, PCdoB, PV, PTB e da bancada petista ao pedir o adiamento da votação.

Pela proposta de autoria do líder do PSDB, Carlos Alberto Bezerra Júnior, as redes de supermercados com mais de 20 lojas teriam seis meses para proibirem a distribuição gratuita das sacolinhas. "É um prazo muito pequeno para os lojistas se adaptarem. A mudança não pode ser tão abrupta assim", argumentou o líder do PT no Legislativo, vereador José Américo. Para as feiras livres o prazo de adaptação era maior, de quatro anos.

O projeto não deve voltar à pauta. Segundo petistas e vereadores do "centrão", um novo projeto substitutivo deve ser analisado a partir da próxima semana, mas sem chance de ser votado neste ano. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

    Leia tudo sobre: Câmarasacolas plásticas

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG