Cabral chega atrasado para a posse

Governador do Rio levou cerca de 30 minutos para chegar à solenidade que o oficializa no segundo mandato

Flávia Salme e Raphael Gomide, iG Rio de Janeiro |

O governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral (PMDB) chegou às 11h20 na Assembleia Legislativa do Rio (Alerj), onde será empossado para cumprir o segundo mandato. A previsão do cerimonial era de que o governador estivesse na Casa Legislativa por volta das 10h45 horas.

Agência Estado
O governador reeleito do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral Filho, durante a cerimônia de sua posse, realizada na Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj)
Cabral seguiu diretamente para a sala da liderança do PMDB, onde era aguardado pelo prefeito Eduardo Paes (PMDB) e representantes do Comitê Olímpico Internacional (COI). A reunião deve durar 10 minutos. Na sequência, o governador segue para o Plenário Barbosa Lima Sobrinho, onde será realizada a cerimônia, que tinha início marcado para as 11h.

Após tomar posse, Sérgio Cabral deve conceder uma rápida entrevista coletiva. Depois viaja para Brasília onde acompanhará a posse da presidenta eleita Dilma Rousseff (PT).

Embora a posse do governador seja no primeiro dia do ano, a dos deputados estaduais será em fevereiro, quando começa o ano no Legislativo. Só então ocorrerá a votação para escolher o novo presidente da Casa e a composição da mesa diretora. Dois peemedebistas estão na disputa, os deputados Paulo Melo, líder da bancada, e Domingos Brazão. O deputado Édson Albertassi, também do PMDB, chegou a entrar no páreo, mas desistiu da corrida. Melo conta com o apoio de Cabral e do atual presidente, Jorge Picciani - candidato derrotado ao Senado que deixa a Alerj após ocupar a presidência local por oito anos.  

A primeira-secretaria deverá ser ocupada pelo deputado e apresentador Wagner Montes (PDT), eleito com 528.628 votos.

Picciani - que chegou a se licenciar em novembro por problemas de saúde - afirmou que não irá ocupar nenhum cargo no governo Cabral. "Isso foi cogitado, como também a possibilidade de eu assumir um ministério. Mas ficarei apenas na presidência do PMDB. E volto a assumir a presidência da minha empresa ( é empresário do mercado de gado ), já que meu filho Rafael foi eleito para Alerj", afirmou. Além de Rafael Picciani, o presidente da Alerj conseguiu reeleger seu filho Leonardo deputado federal.

    Leia tudo sobre: cabralpossepmdbalerjdilma

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG