Cabral assume novo mandato com desafios na área de segurança

Reeleito com 66% dos votos, governador do Rio toma posse com a promessa de implantar UPPs em todas as favelas com tráfico

Flávia Salme, iG Rio de Janeiro |

Foto Pedro Kirilos / Agencia O Globo
Cabral após reuniao com membros do COI para rever o projeto olimpico na última terça-feira (28): eventos esportivos no Rio são outros desafios
Após vencerem com 66% dos votos, o governador Sérgio Cabral Filho (PMDB) e o vice-governador Luiz Fernando Pezão (PMDB) tomam posse neste sábado (1) com o desafio de implantar as Unidades de Polícia Pacificadora (UPPs) em todas as favelas que ainda vivem sob o controle do tráfico de drogas do Estado, a principal promessa de campanha.

A cerimônia realizada na Assembléia Legislativa do Rio (Alerj) está marcada para começar às 10h e deve contar com 1.200 convidatos. A previsão é que, após iniciado, o evento dure 40 minutos. Em seguida, Cabral segue para Brasília para a posse da presidenta elteita Dilma Rousseff (PT).

Pelo roteiro cerimonial, o governador do Rio deve chegar à Alerj por volta das 10h45, acompanhado da primeira-dama Adriana Ancelmo e dos cinco filhos de Cabral. Ao chegar na Casa Legislativa, ele passará a guarda em revista até ser recebido pelo presidente da Alerj, Jorge Picciani (PMDB), candidato derrotado ao Senado.

Antes de iniciar a solenidade, Cabral deve participar de uma reunião com integrantes do Comitê Olímpico Internacional (COI). Depois, o governador segue para o Plenário Barbosa Lima Sobrinho.

A cerimônia será simples. Cabral e Pezão lerão um termo de compromissos, com base do Artigo 139 da Constituição Estadual, em que asseguram o respeito à Constituição, observância às Leis e a promoção do bem-estar da população do Estado.

Na sequência, a primeira-secretária da Alerj, deputada Graça Matos (PMDB), lerá o Termo de Posse, que deverá ser assinado pelo governador e o vice. Por fim, o presidente da Alerj, Jorge Picciani (PMDB), os empossa. Cabral discursa na tribuna do orador, concede entrevista coletiva e segue para Brasília.

Durante a posse, a mesa da presidência da Alerj será composta pelo prefeito do Rio, Eduardo Paes, pelo presidente do Tribunal de Justiça, desembargador Luiz Zveiter, pelo procurador geral de Justiça do Rio, Cláudio Soares Lopes, além de Picciani, Cabral e Pezão.

No Plenário são esperadas 240 pessoas, já as galerias devem receber 150 pessoas; 100 são aguardadas no Salão Nobre e 70 na sala das comissões (os dois últimos locais contarão com transmissão por TV).

Pacificação do Estado

Apesar da boa avaliação de seu governo, Cabral inicia um segundo mandato com a mesma promessa do primeiro: garantir segurança à população. Em 2007, quando assumiu pela primeira vez, o Rio de Janeiro passava por uma série de ataques criminosos. Na ocasião, o governador anunciou que não hesitaria em pedir ajuda do governo federal requisitando, inclusive, apoio das Força Nacional de Segurança (FNS).

Após encerrar a gestão com 13 UPPs em funcionamento, e o domínio territorial da polícia no Complexo do Alemão - em uma das ações de segurança mais emblemáticas do governo, a promessa é ampliar a pacificação em áreas como a Rocinha e o próprio conjunto de favelas da zona norte.

Durante a posse, neste sábado, policiais militares e bombeiros prometem realizar protestos na porta da Alerj em defesa da aprovação da PEC 300, que garante aumento de salário para a categoria.

    Leia tudo sobre: possesérgio cabralluiz fernando pezãoalerjdilma

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG