Briga por royalties opõe estrelas da base

Expoentes de siglas como PT e PMDB, no Senado e no Executivo, divergem sobre modelo de distribuição de receitas do petróleo

Fred Raposo, iG Brasília |

A disputa pelos royalties causou um racha até entre estrelas dos partidos da base no Executivo e no Senado, onde está em discussão o substitutivo ao projeto de lei que estabelece um novo modelo de distribuição de receitas do petróleo.

A proposta em análise no Congresso, do senador Vital do Rêgo (PMDB-PB), levou os governadores do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral (PMDB), e do Espírito Santo, Renato Casagrande (PSB), a cobrarem do Planalto uma interferência nas negociações. No Senado, oito dos nove parlamentares que representam os três estados produtores, são aliados governistas.

Eles questionam o relatório apresentado ontem por Vital, que atinge os cofres da União e de Estados e municípios produtores. No texto, o peemedebista mexe na receita de regiões cujo direito de exploração já foi licitado, incluindo campos atualmente em produção. O relatório também prevê a partilha de novas áreas do pré-sal, que tem uma parcela entregue à União.

A divergência atinge, por exemplo, dois dos expoentes do PT no Senado: Lindbergh Farias (RJ) e Walter Pinheiro (BA). "Há inconsistências (no relatório). Agora eles estão vendo que entraram com números errados", disse Lindbergh ao iG . "Eu tenho esperança que a Dilma vete este projeto se for votado deste jeito. Ele inviabiliza o Rio de Janeiro".

"É natural que parlamentares do Rio reajam a esta mudança", amenizou Pinheiro. "Mas é legítimo que façamos uma nova lei no país que abra caminho para uma novo pacto federativo. E que isso sirva de exemplo para corrigirmos distorções e promovermos distribuição sem essa concentração muito forte na mão da União.

O texto de Vital desagradou também o correligionário Ségio Cabral, que classificou a proposta de divisão de riquezas do petróleo de "indecente, indecorosa e irresponsável" . "É uma caricatura de um projeto já caricato. Ele mudou as perpendiculares do IBGE, o senador Vital do Rêgo virou técnico, geólogo, geógrafo do IBGE", ironizou o governador fluminense.

A polêmica dos roylaties colocou em lados opostos uma das "raposas" do Senado, Francisco Dornelles (PP-RJ), e um dos novatos que têm se destacado na Casa, o senador Wellington Dias (PT-PI). Eles haviam sido encarregados de negociar um acordo sobre o projeto.

    Leia tudo sobre: royaltiessenadoptpmdb

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG