Brasil x Holanda pode esvaziar Dois de Julho na Bahia

Evento, que marca a independência do Estado, terá seu ápice no mesmo horário do jogo e políticos podem desfilar para ninguém

Lucas Esteves, iG Bahia |

A classificação do Brasil para as quartas de final da Copa do Mundo contra a Holanda pode esvaziar a mais tradicional festa cívica da Bahia nesta semana. O Dois de Julho, que marca a independência do Estado da dominação portuguesa, terá seu ápice no mesmo horário em que o Brasil tenta passar para a semifinal no mundial, às 11h.

Não bastassem as ruas vazias na celebração dos atos heróicos de Maria Quitéria, Joana Angélica e do Corneteiro Lopes, os políticos que obrigatoriamente comparecem à ocasião também correm o risco de desfilar para ninguém. No ano eleitoral, todos os seis candidatos ao Governo da Bahia confirmaram presença na caminhada e, entre eles, uma presidenciável, além do presidente Lula, deverão estar presentes.

O evento começa por volta de 10h no bairro da Lapinha, vizinho ao populoso bairro da Liberdade e que concentra a partida da caminhada que lembra as batalhas do povo baiano para expulsar os portugueses da terra. Tradicionalmente, há a execução do hino nacional com a presença do governador baiano e do prefeito de Salvador para, logo depois, haver a partida das imagens dos caboclos em direção à Praça Municipal, sede da Prefeitura.

Atrás das imagens históricas, blocos políticos desfilam até o final da caminhada. O PV promete a presença da presidenciável Marina Silva, enquanto o presidente Lula deve participar no grupo petista como representante nacional ao lado do governador Jaques Wagner, ocasião que ainda depende de confirmação junto ao cerimonial da Presidência da República, apesar de haver o convite oficial da gestão estadual. Há, no entanto, o risco de haver ruas vazias, já que o povo pode optar por curtir a Seleção na TV.

    Leia tudo sobre: Dois de JulhodestaBahiaCopa do mundo

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG