Brasil se despede de José Alencar

Lula chorou ao ver caixão de seu ex-vice; Dilma, autoridades e convidados da família velaram o corpo do empresário em Brasília

iG São Paulo e iG Brasília | 30/03/2011 05:00 - Atualizada às 23:12

Compartilhar:

O Brasil começou a se despedir nesta quarta-feira do ex-vice-presidente da República José Alencar. Ele morreu às 14h41 de terça-feira, em São Paulo, após uma série de batalhas contra um câncer identificado na década de 90. O avião pousou na manhã de hoje em Brasília com o corpo de Alencar, que foi recebido no Palácio do Planalto com honras de chefe de Estado, como ocorreu com o presidente eleito Tancredo Neves em 1985.

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e sua sucessora, Dilma Rousseff, chegaram por volta das 21h20 em Brasília para velar o corpo do ex-vice em cerimônia com caixão aberto que durante o dia foi acompanhada por autoridades e convidados da família. Emocionado, Lula chorou ao ver seu ex-vice-presidente no caixão.

Até as 22h20, mais de 8.100 pessoas haviam passado pelo Planalto para o velório do ex-vice. O Salão Nobre do palácio recebeu cerca de 150 coroas de flores em homenagem ao ex-vice-presidente ao longo do dia.

Pela manhã, o cortejo fúnebre seguiu pelo eixo central de Brasília, a principal avenida da capital federal. Em carro aberto, o corpo de Alencar foi levado até o Palácio do Planalto. Carregado pelo Batalhão da Guarda Presidencial junto com os fuzileiros navais, o caixão subiu a rampa do prédio, repetindo o caminho que Alencar fez ao lado de Lula em 1º de janeiro de 2003. Eleito em novembro de 2002 na chapa encabeçada por Luiz Inácio Lula da Silva, Alencar ocupou a Presidência da República em exercício em diversas ocasiões. A soma dos períodos resulta em 436 dias - ou seja, ele esteve no comando do País por mais de um ano. É por esse motivo que foi decretado luto oficial por sete dias.

No Planalto, além do presidente em exercício, Michel Temer, todos os ministros estiveram presentes, com exceção do ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo. Estiveram presentes, ainda, os ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) e os presidentes do Congresso, José Sarney (Senado) e Marco Maia (Câmara), e ministros do governo Lula, como Múcio Monteiro e Celso Amorim.

O helicóptero que levou ao Palácio o ex-presidente Lula e sua sucessora, Dilma Rousseff, chegou ao local por volta das 21h20. Bastante emocionado, com um lenço branco nas mãos, o ex-presidente não conteve as lágrimas ao cumprimentar amigos e familiares e beijou Alencar na testa ao vê-lo no caixão. Estava acompanhado da ex-primeira dama, Marisa Letícia, também emocionada, o filho de Alencar, Josué, e a viúva, Mariza Gomes da Silva.

Dilma se aproximou do corpo do ex-vice logo depois. Por volta das 21h30 teve início a cerimônia religiosa, celebrada pelo secretário-geral da CNBB dom Dimas Barbosa e o núncio apostólico Dom Lorenzo Baldisseri. A cerimônia com Lula e Dilma terminou às 22h10.  Os dois anteciparam o regresso de Coimbra (Portugal), onde Lula recebeu o título de “doutor honoris causa” da universidade.

Foto: Agência Estado

Populares formam fila na rampa do Palácio para velar o corpo de Alencar

Em sua fala, dom Dimas se lembrou de uma famosa declaração de Alencar: "Estou entregue a quem sempre estive: às mãos de Deus". Ao final da celebração, Lula, Dilma e a ex-primeira dama permaneceram ao lado da viúva e de Josué, próximos ao caixão, enquanto eram tocadas músicas da Renovação Carismática da Igreja Católica. 

Para a celebração, ministros e o vice-presidente Michel Temer retornaram ao salão onde era velado o corpo do empresário.

O velório no Palácio do Planalto foi organizado para se encerrar às 23 horas. O corpo de Alencar só deve deixar Brasília por volta das 7 horas de quinta-feira, com destino a Minas Gerais. Lá, o corpo do ex-vice será cremado, em cerimônia agendada para as 14 horas. Segundo o ministro Gilberto Carvalho (Secretaria Geral da Presidência), a presidente Dima Rousseff seguirá pela manhã até Minas para acompanhar o velório, mas deve voltar antes da cremação. Lula acompanhará a presidenta na viagem.

Choro e emoção

O ex-presidente Lula disse, ao chegar hoje à Universidade de Coimbra (Portugal) para receber um título de Doutor Honoris Causa, que o Alencar ficaria "muito feliz" por ele se estivesse vivo. Lula disse sentir "um misto de alegria e tristeza", pelo reconhecimento da Universidade de Coimbra e pela morte de Alencar.

Ontem, Lula e Dilma falaram sobre a morte de Alencar. Ambos estavam muito emocionados. O ex-presidente chorou. "Nós tínhamos um relação de irmãos, de pai e filho", disse Lula. "Não sabíamos que o nosso querido José Alencar já tinha morrido. Nós estamos em um momento de muito sentimento”, afirmou Dilma.

Temer disse ter conversado pelo telefone com o filho mais velho de Alencar, Josué Gomes da Silva, que estava bastante emocionado. "Embora enfrentando uma tragédia, uma quase tragédia, soube manter uma harmonia interna e revelar uma tranquilidade excepcional perante todos brasileiros", afirmou Temer.

*Com Nara Alves, iG São Paulo, Adriano Ceolin, Danilo Fariello e Fred Raposo, iG Brasília

    Notícias Relacionadas



    Ver de novo