Com cinco mortes registradas no ano passado, país está na 99ª posição no ranking da ONG Repórteres Sem Fronteiras

O Brasil perdeu 41 posições no ranking da liberdade de imprensa 2011-2012 conforme classificação divulgada nesta quarta-feira (25) pela ONG Repórteres sem Fronteiras. O Brasil agora ocupa a 99ª colocação.

Somente no ano passado, foram registrados cinco assassinatos envolvendo jornalistas em todo o Brasil: um em Pernambuco, outro no Rio Grande do Norte, um no Amazonas e dois no Rio de Janeiro. Um deles envolvendo o cinegrafista da Band, Gelson Domingos Silva, durante uma cobertura de uma operação da Polícia no Rio de Janeiro.

PT afirma que regulamentação da imprensa não é censura

Segundo a ONG, ainda não houve condenação dos envolvidos nos assassinatos. Na América do Sul, o Paraguai também teve uma queda acentuada de posições. Foram 26 postos a menos no ranking 2011-2012.

A Argentina manteve a mesma posição nos dois anos: 47ª. “Tanto no Norte e Nordeste brasileiros como nas regiões de fronteira paraguaias a corrupção local, as atividades do crime organizado e as agressões ambientais se assumem como temas perigosos quer para os jornalistas quer para os blogueiros”, informou o comunicado da ONG.

Ainda conforme a ONG, o número de mortes de jornalistas registrados no Brasil é comparável ao do Peru, que ficou na 115ª posição do ranking. No Equador, Bolívia e Venezuela, o principal problema enfrentado pela imprensa está ligado está ligado ao “difícil equilíbrio no pluralismo mediático”.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.