Blairo recusa Transportes e Dilma tenta efetivar Paulo Passos

Convite foi feito durante conversa com Gilberto Carvalho. Agora, presidenta trabalha tornar secretário-executivo titular

Adriano Ceolin, iG Brasília |

A presidenta Dilma Rousseff vai trabalhar para efetivar Paulo Passos como ministro dos Transportes. Ontem ela tentou nomear o senador Blairo Maggi (PR-MT) para o posto, mas ele não aceitou porque avalia que não terá liberdade de ação na pasta, segundo o iG apurou com fontes no Palácio do Planalto e no Congresso

O convite a Blairo foi um sinal de que Dilma não pensa, em princípio, em dar osTransportes para outro partido que não seja o PR. Secretário-executivo na pasta desde o governo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, Passos assumiu o ministério interinamente após a demissão de Alfredo Nascimento em meio a denúncias de corrupção.

Técnico, sempre foi preferido da presidenta para o posto. Apesar de não ser cacique no PR, Passos é filiado ao partido que é dono do Ministério dos Transportes desde 2003. Agora Dilma ganha tempo para consolidá-lo como titular da pasta.

O empecilho é a falta de interlocução entre o Palácio do Planalto e o PR. Isso porque os dois principais nomes do partido foram envolvidos direta ou indiretamente nas denúncias de corrupção nos Transportes: além de Alfredo, que é presidente nacional da sigla, o deputado Valdemar Costa Neto (PR-SP).

Senador e empresário que fez doações em dinheiro para as campanhas de Lula e Dilma, o senador Blairo Maggi (PR-MT) também entrou em rota de colisão com o Planalto por causa do apadrinhado político Luiz Pagot, afastado da direção-geral do Departamento Nacional de Infra Estrutura de Transportes (Dnit).

Maggi foi o congressista mais irritado durante a reunião que a bancada do Senado teve com as ministra Ideli Salvatti (Relações Institucionais), ontem, quase ao mesmo tempo que foi anunciada a demissão de Alfredo Nascimento. O senador mato-grossense reclamou da forma como Pagot foi demitido. Lembrou a saída de Rodrigo Figueiredo da pasta das Cidades por divergências com o ministro Mário Negromonte.

Logo após a reunião com Ideli, Maggi foi procurado insistentemente pelo ministro Gilberto Carvalho (Secretaria Geral da Presidência da República). Segundo o iG apurou, Carvalho disse a ele que Dilma gostaria de convidá-lo para assumir o lugar de Alfredo. Ele recusou. Ao chegar no Congresso, Blairo negou tudo. Sequer confirmou que esteve no Planalto.

Em entrevista à Agência Estado agora de manhã, Carvalho afirmou que a presença de Passos no Ministério dos Transportes dará “tranquilidade” para as conversas entre o governo e o partido. Ele defendeu as decisões tomadas por Dilma: "Aliados não podem ser mantidos a qualquer preço", disse. "Num governo, quem comete erro cai."

    Leia tudo sobre: Blairo MaggiCriseTransportes

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG