Berzoini abre mão de coordenar campanha de Haddad em São Paulo

Deputado foi indicado pela CNB na semana passada, mas justificou que não conseguiria conciliar campanha com presidência da CCJ

Ricardo Galhardo, iG São Paulo |

Agência Brasil
Deputado federal Ricardo Berzoini abriu mão de coordenar campanha de Haddad
O deputado federal Ricardo Berzoini (PT-SP) comunicou à coordenação da corrente Construindo um Novo Brasil (CNB), de seu partido, que abriu mão de pleitear o posto de coordenador geral da campanha do pré-candidato Fernando Haddad (PT) à Prefeitura de São Paulo.

Leia também: Haddad duplica cargos de campanha por grupos pró e contra Kassab

Segundo dirigentes da CNB, Berzoini justificou a decisão alegando que não teria como conciliar a coordenação da campanha com a presidência da Comissão de Constituição, Justiça, e Cidadania (CCJ) da Câmara Federal.

O nome de Berzoini foi indicado pela CNB na semana passada junto a uma lista de sugestões que deveriam passar pelo crivo de Haddad e do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva . Nos bastidores, os petistas comentam que também pesaram na decisão de Berzoini as dificuldades de relacionamento do deputado com o publicitário João Santana e com o próprio pré-candidato petista.

Além disso, Berzoini tem um histórico de atritos com Lula devido ao escândalo dos Aloprados em 2006, que, na época, obrigou o deputado a abrir mão da coordenação da campanha presidencial do PT.

Até o momento, a CNB não informou um novo nome para substituir a indicação de Berzoini. A expectativa entre lideranças petistas de São Paulo é que Haddad defina a coordenação da campanha até o fim da semana que vem.

O presidente estadual do PT de São Paulo, Edinho Silva, negou que o envolvimento de Berzoini em supostas irregularidades na gestão da Bancoop (Cooperativa Habitacional dos Bancários de São Paulo) prejudique a participação dele na campanha de Haddad. "Berzoini deu todas as respostas. Ele é um quadro muito importante para o PT, do qual todos temos muito orgulho".

Na terça-feira, a 10.ª Câmara de Direito Privado do Tribunal de Justiça do Estado decretou a desconsideração da personalidade jurídica da Bancoop, o que, na prática, impõe a seus dirigentes e ex-mandatários a obrigação de ressarcir cooperados que reclamam judicialmente valores relativos a danos que teriam sofrido. Berzoini fundou a Bancoop nos anos 1990.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG