Bem-humorado, Chávez diz que Dilma ‘roubou o seu coração’

Em discurso, presidente venezuelano se mostrou à vontade e brincou com sua fama de falar demais

Agência Brasil |

Presidência da República
Presidente da Venezuela se mostrou à vontade em discurso em Brasília
Sorridente e bem-humorado, o presidente da Venezuela, Hugo Chávez, fez piada hoje (6) com a própria fama de falar demais e fazer longos discursos. “Prometo que serei breve”, afirmou ele, antes de discursar, por 21 minutos, no Palácio do Planalto. “Podem marcar no cronômetro, pois ( a presidenta ) Dilma ( Rousseff ) resumiu quase tudo que eu tinha para dizer aqui”, disse. “Não farei como Fidel ( Castro, ex-presidente de Cuba, também famoso por discursar por horas a fio ), que fez um brinde de duas horas.”

Mantendo o tom emocional que caracterizam os discursos do líder venezuelano, Chávez afirmou que a afinidade com o Brasil é tanta que reage ao hino nacional brasileiro da mesma forma que reage ao ouvir a execução do hino da Venezuela. “Hoje, quando ouço o hino do Brasil, fico tão emocionado quanto quando ouço o nosso", disse ele.

Sentado ao lado da presidenta Dilma Rousseff, Chávez disse que ela “roubou” o coração dele. “Na primeira vez que falei com Dilma, ela me roubou o coração, foi em Caracas, ela era ministra de Minas e Energia”, afirmou ele, olhando na direção de Dilma, que sorriu acenado a cabeça.

Lembrando sobre as antigas parcerias existentes entre Brasil e Venezuela, Chávez afirmou que a admiração dos venezuelanos pelos brasileiros vêm desde o século 19, com o herói revolucionário Símon Bolívar, que liderou na América do Sul uma onda de independência de colônias espanholas. Segundo ele, em 1830, ao receber o primeiro embaixador brasileiro, Bolívar fez uma análise sobre o destaque da presença do Brasil na América do Sul.

    Leia tudo sobre: dilma rousseffhugo chávez

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG