Base aliada derruba requerimento para levar Pimentel ao Senado

Convite para que ministro preste esclarecimentos ao Congresso é o segundo a ser rejeitado

Reuters |

Senadores da base governista rejeitaram nesta terça-feira requerimento que convidava o ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Fernando Pimentel, a prestar esclarecimentos sobre as suspeitas relacionadas às suas atividades como consultor antes de assumir o cargo. Foram oito votos contrários ao convite a Pimentel e cinco favoráveis, na Comissão de Meio Ambiente, Defesa do Consumidor, Fiscalização e Controle, segundo informações da Agência Senado.

Ministro protegido: Após reunião, governo reitera apoio a Fernando Pimentel

De acordo com reportagens publicadas na imprensa, uma empresa que contratou os serviços da consultoria de Pimentel manteve contrato com a prefeitura de Belo Horizonte enquanto ele era o prefeito da cidade. A empresa teria fechado contrato com a administração da capital mineira em 2005, e solicitado os trabalhos da consultoria do ministro em 2009, após ele ter deixado a prefeitura. O requerimento era de autoria do líder do PSDB, Alvaro Dias (PR).

É o segundo requerimento da oposição para levar Pimentel ao Congresso a ser rejeitado. Antes, uma proposta do líder do PSDB na Câmara, Duarte Nogueira (SP), para que o ministro fosse à Câmara também foi derrubada.

Os oposicionistas comparam o caso de Pimentel ao do ex-ministro-chefe da Casa Civil Antonio Palocci, que deixou o cargo em junho após suspeitas levantadas em relação à sua atividade como consultor. O PSDB também pediu ao Ministério Público e à Comissão de Ética Pública, órgão vinculado à Presidência da República, que investigue o caso.

Sete ministros do governo da presidenta Dilma Rousseff já deixaram o cargo desde junho, seis deles em meio a denúncias de irregularidades.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG