Bancada do PSD vai mostrar seu peso, diz Kassab

Prefeito paulistano e presidente da nova sigla volta a negar, porém, alinhamento automático com Palácio do Planalto

Adriano Ceolin, iG Brasília |

O prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, disse nesta quarta-feira que as bancadas do PSD no Congresso vão “mostrar o seu peso”, mas negou um alinhamento automático às determinações do governo Dilma Rousseff. Ele falou com exclusividade com o iG minutos antes de participar do I Encontro Nacional do PSD, realizado em Brasília.

Kassab é o idealizador, fundador e presidente nacional do PSD. A sigla ganhou registro definitivo do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) no fim de setembro, o que lhe permitirá disputar as eleições de 2012. A maior parte dos seus integrantes saiu do DEM, ex-partido de Kassab. O PSD, no entanto, acabou servindo de guarda-chuva para insatisfeitos em todas as siglas.

Nesta terça-feira, o partido anunciou a filiação de 55 deputados federais, o que torna a sigla a terceira maior bancada na Câmara _só perde para o PT e para o PMDB. A expectativa sempre foi muito otimista. “E o número nos enche de confiança porque é uma bancada que vai poder mostrar o seu peso no Congresso”, afirma Kassab, em entrevista ao iG.

O prefeito paulistano negou, porém, que o PSD irá apoio incondicional aos projetos de interesse do Palácio do Planalto. “(Vamos ajudar) Os projetos que forem de interesse do Brasil e forem convergentes com as nossas diretrizes programáticas”, disse. Além de 55 deputados, o PSD conta com dois senadores: Kátia Abreu (TO) e Sérgio Petecão (AC).

Questionado sobre a possibilidade de o PSD ser convidado para indicar um nome para o Ministério do Esporte no lugar de Orlando Silva (PCdoB), Kassab negou que a nova sigla tenha interesse pela vaga. “O PSD é independente e por ser independente não é incompatível com a participação do governo”, afirmou o prefeito paulistano.

    Leia tudo sobre: Gilberto KassabPSD

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG