Dilma quer acertar cortes no Orçamento e implementar controle de gastos antes de análise sobre cinco anos de programa

Antes de balanço do PAC, Dilma avaliar cortes no Orçamento
Agência Brasil
Antes de balanço do PAC, Dilma avaliar cortes no Orçamento
O governo marcou para o fim de fevereiro a realização do balanço dos cinco anos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). A presidenta Dilma Rousseff quer implementar antes um programa on-line para controle de execução de todas os programas e ações do governo e definir o tamanho de cortes no Orçamento de 2012.

No fim desta semana, o PAC comemora cinco anos de lançamento. Desde a semana passada, o iG tem publicado uma série de reportagens sobre os êxitos e deficiências do programa de infraestrutura do governo Luiz Inácio Lula da Silva que impulsionou a então chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff , como candidata à Presidência em 2010.

De lá para cá, Dilma foi eleita e o PAC até foi transferido da Casa Civil para o Ministério do Planejamento em janeiro passado, já sob o comando da ministra Míriam Belchior. No primeiro ano de mandato de Dilma, o PAC sofreu com os cortes no Orçamento de 2011 motivados pela decisão de contenção de gastos em meio à crise mundial.

Como mostrou o iG , Dilma quer insistir no PAC como bandeira do seu governo. Na semana passada, a presidenta promoveu uma série de reuniões setoriais para avaliar a fundo formas de manter o ritmo de investimento do governo. A situação é difícil, pois o Ministério da Fazenda estuda um novo corte no Orçamento de 2012, que pode chegar a R$ 60 bilhões.

Dilma resiste à ideia. Avalia que a falta de investimentos no ano passado provocou ra queda do Produto Interno Bruto (PIB). A presidenta, então, resolveu estabelecer mais uma forma de controle de gastos do governo. O anúncio foi feito na segunda-feira após a reunião ministerial.

Por sugestão, do empresário Jorge Gerdau, presidente da Câmara de Gestão e Políticas de Competividade, a Casa Civil estabeleceu um novo programa em tempo real sobre os gastos. Dilma não quer que dinheiro liberado não seja gasto por questões burocráticas.

Ainda não está previsto a realização de um grande evento de comemoração dos cinco anos do PAC. Segundo o iG apurou, Dilma quer mostrar resultados e não simplesmente exaltar a data. Por isso, agendou para o fim de fevereiro o balanço do programa.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.