Ativistas protestam em frente ao STF por libertação de Battisti

Ato acontece no dia de abertura do ano judiciário, que contou com a presença da presidenta Dilma Rousseff

iG São Paulo |

Um grupo de ativistas se manifestou nesta terça-feira (1) diante do Supremo Tribunal Federal (STF), onde a presidenta Dilma Rousseff participava da sessão solene de abertura do ano judiciário, para pedir a libertação do ex-ativista italiano Cesare Battisti, preso em Brasília e reivindicado pela Itália.

AFP
Manifestantes em frente ao Supremo Tribunal Federal pedem a libertação de Battisti
Os cerca manifestantes, cujo número a Polícia estimou em 50, se concentraram em frente ao Tribunal com cartazes nos quais qualificavam o ex-ativista de extrema-esquerda italiano de "perseguido político" e exigiram sua libertação. Ao sair, cercade uma hora depois do início da sessão, Dilma não comentou sobre a manifestação.

Battisti é pivô de uma crise entre Brasil e Itália e de um imbróglio jurídico que já dura quase três anos em torno de sua extradição. Preso no Brasil desde 2007, o ex-ativista é reclamado pela Justiça da Itália, por ter sido condenado por crimes cometidos no fim dos anos 1970 e atribuídos ao grupo Proletariados Armados pelo Comunismo (PAC), da qual Battisti fazia parte. O ex-ativista foi condenado à revelia após o ex-líder do PAC, Pietro Mutti, delatar o antigo companheiro como sendo autor dos crimes – o que Battisti nega.

Em 2010, os ministros já haviam decidido que o italiano deveria ser extraditado, mas ressalvaram que esta decisão caberia apenas ao presidente da República. Em um dos seus últimos atos de Governo, no dia 31 de dezembro, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva negou a extradição aprovada pelo STF. Lula argumentou que Battisti, condenado à revelia na Itália por suspeita de participação em quatro assassinatos, correria riscos se voltasse ao seu país.

*Com EFE

    Leia tudo sobre: cesare battistiatoSTF

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG